Guia descomplica os caminhos para um jeito próprio de vestir

Guia descomplica os caminhos para um jeito próprio de vestir

Especialista em moda Xico Gonçalves, responsável pelos figurinos femininos da novela “Gênesis”, lança “O Poder da Imagem"

Vera Pinto

Após a leitura, certamente o leitor ou leitora nunca mais vai reclamar, em frente ao armário, que "não tem o que vestir"

publicidade

Ao criar os figurinos para as atrizes da novela “Gênesis” da Record TV, Xico Gonçalves notou que é ao vestir as roupas, que elas conseguem compor a personagem que o roteiro exige. Embalado por esta experiência, o especialista em moda escreveu “O Poder da Imagem”, uma fonte completa para uma estratégia de branding pessoal, a partir da crença de que podemos incorporar o personagem que desejarmos na hora de vestir. O livro descomplica os caminhos para quem busca uma aparência adequada, além de contar histórias sobre a origem e autoria das roupas. No formato de e-book ou impresso, pode ser adquirido no site https://opoderdaimagem.com. 

Em forma alfabética e didática, o livro desvenda a cultura do vestir contemporâneo, informando a trajetória e quem popularizou cada peça do vestuário, já que o vestir é um registro histórico das liberdades humanas e uma radiografia de cada época. Como organizar o armário, guardar as roupas e sapatos fora de época; o cabide ideal; harmonização do ‘bumbum’; lista de básicos; modelagem para cada formato de corpo; o que comprar em brechós; comprimentos; cores; customização; dress code (código de vestimenta); debutantes; formaturas; gestantes; plus size e entrevista de trabalho são alguns dos capítulos da publicação, com 430 páginas. 

Em tempos de redes sociais, onde a imagem vale muito, o estilista destaca o valor de passarmos a mensagem certa com a maneira que vestimos, já que o visual é uma comunicação não verbal e somos analisados pelos outros, 55% pela aparência em apenas 17 segundos. “E muitas vezes não temos oportunidade para uma ‘segunda’ primeira impressão, na busca do que queremos profissionalmente ou no lado afetivo”, comenta. Xico explica que assim como uma pintura artística precisa ter cores harmoniosas e linhas elegantes para se tornar um clássico, a imagem que mostramos ao mundo define nosso estilo, melhora a autoestima e transmite modernidade. “Moda é o que compramos, estilo é o que criamos com o que se compra”, define. A exemplo da decoração, onde menos é mais, ele garante que a regra vale também para a moda, ainda mais após a pandemia, onde aprendemos que não precisamos de muito para viver. “As francesas, que são consideradas as mulheres mais elegantes do mundo, usam um estilo chamado de ‘Efforless chic’, um chique sem esforço, com poucas roupas no armário, mas de muita qualidade’, declara. 

Seu ofício como figurinista no épico “Gênesis” é um processo trabalhoso, na medida em que deve ler os 200 capítulos e decupar o que a cena pede, o que o roteiro exige e criar uma identidade própria para cada personagem, para que pareçam reais aos olhos do telespectador. “Criamos também uma cartela exclusiva para cada atriz, para que duas personagens não usem a mesma cor em cena. Temos uma liberdade poética para crias as vestimentas, mas é fundamental que seja coerente com a ação, história e localização geográfica. Todas as peças passam por um envelhecimento nos tecidos e barrado na bainha, já que nesta época as pessoas andavam sobre areia ou terra e a barra das saias longas acabavam mais escuras”, explica.

Trajetória 
Natural de Porto Alegre e filho da notável costureira Maria Gonçalves, que serviu de inspiração para seu ofício, Xico Gonçalves tem transitado em todos cenários da moda, desde a década de 1970. Com o sócio César Vargas, que o profissionalizou neste segmento, criou a X & C, marca que  participou de eventos como o Oscar da Moda (Rio de Janeiro), nos anos 80 e desfiles da Fenit (São Paulo). Como jornalista, foi apresentador por mais de 15 anos em algumas das principais redes televisivas brasileiras, dando dicas de moda e estilo. Também escreveu em diversos jornais, sites e revistas. 

Foi um dos produtores e diretores do “Donna Fashion Iguatemi” de 2001 a 2010, semana de desfiles para mostrar a produção de novos talentos gaúchos, assim como nomes consagrados brasileiros. Em 2004 lançou o livro “ABC da Moda”. De 2007 a 2012 morou no Rio de janeiro, escrevendo para revistas e jornais e produzindo catálogos de empresas italianas que fotografavam na cidade as coleções. Em 2013 rumou para São Paulo, onde cuidou do conteúdo de moda para as plataformas digitais da revista Pais & Filhos. Em 2014 voltou para o Rio de Janeiro, para dar assessoria a uma empresa de moda. Em suas andanças, descobriu a top model Shirley Mallmann, no interior gaúcho. 

Seja como consultor, apresentador, empreendedor, estilista ou figurinista, Xico se sente à vontade em todos os papeis, devido ao seu poder de reinvenção e sobretudo, o amor pela moda.  


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895