Histórias reais de violência doméstica são tema de peça teatral

Histórias reais de violência doméstica são tema de peça teatral

“Cascavel” é exibida de forma online e gratuita desta quinta-feira até domingo

Arte & Agenda

As atrizes Carol Cezar e Fernanda Heras interpretam mulheres que foram vítimas de violência doméstica

publicidade

"Cascavel" ganha sua primeira montagem brasileira, a partir desta quinta-feira, dia 29, com direção do premiado Sérgio Ferrara. As atrizes Carol Cezar e Fernanda Heras interpretam mulheres que foram vítimas do mesmo agressor, expondo os diferentes tipos de abuso presentes em um relacionamento. A peça é baseada em histórias reais.

Escrita por Catrina McHugh, em 2015, o espetáculo foi originalmente desenvolvido como parte de um programa de treinamento para aumentar a conscientização de policiais da cidade de Durham, no nordeste da Inglaterra, sobre a violência doméstica.

Os canais brasileiros que registram a violência contra a mulher receberam mais de 105 mil denúncias em 2020. Do total, 75,7 mil foram referentes a atos domésticos e familiares. Em vários países do mundo, esse tipo de violência se intensificou durante a pandemia, quando as vítimas se viram confinadas com seus agressores. Os dados recentes mostram a atualidade do espetáculo “Cascavel”.

As sessões, desta quinta-feira até domingo a qualquer horário, exibirão uma gravação do espetáculo realizada em julho no Teatro Poeira, no Rio de Janeiro. Gratuito, com possibilidade de contribuição solidária. Ingressos pela plataforma Sympla. Classficação 14 anos.

Em cena:

O espetáculo acompanha Suzy (Fernanda Heras) e Jen (Carol Cezar), e suas conturbadas relações com James (interpretado pelas duas atrizes), um homem que cerca e controla as mulheres em sua vida. Como uma cobra traiçoeira, com um veneno potencialmente mortal, ele começa a destruir a vida de cada uma. Elas falam sobre como conheceram James, e a mudança de comportamento dele à medida em que o relacionamento avançava.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895