"Indiana Jones" do mundo da arte acha anel roubado de Oscar Wilde

"Indiana Jones" do mundo da arte acha anel roubado de Oscar Wilde

No passado, joia foi presente do escritor irlandês a um amigo da universidade

Por
AFP

Joia não era encontrada desde 2002


publicidade

Um anel de ouro, que o famoso escritor irlandês Oscar Wilde deu de presente a um amigo, foi encontrado por um especialista em arte holandês quase 20 anos depois de ter sido roubado da universidade britânica de Oxford. A peça de 18 quilates, era um elemento central da coleção do Magdalen College, um dos colégios universitários mais prestigiosos na Inglaterra, onde Wilde estudou.

A joia foi subtraída durante um roubo em 2002. Temia-se que a peça, avaliada então em mais de 40 mil euros, tivesse sido fundida. Por fim, o anel, cujo formato lembra a fivela de um cinto, reapareceu graças às investigações do especialista em arte holandês, Arthur Brand. Conhecido como o "Indiana Jones do mundo da arte" por suas conquistas como investigador, Brand ativou seus contatos neste submundo para encontrar o rastro do tesouro.

O Magdalen College se declarou "agradecido" e "muito feliz de ter recuperado um objeto roubado que faz parte de uma coleção de um dos antigos estudantes mais famosos", disse à AFP Mark Blandford-Baker, tesoureiro. "Tínhamos perdido a esperança de voltar a vê-lo", admitiu.

O anel será devolvido durante uma cerimônia em 4 de dezembro na faculdade, onde voltará a ocupar seu importante lugar na coleção de memórias de Oscar Wilde, escritor, romancista, dramaturgo e poeta, conhecido especialmente por seu "O Retrato de Dorian Gray" (1890).

Detalhes do anel

"Presente de amor, para ele que deseja o amor" é a inscrição em grego no anel. No interior estão gravadas as iniciais: "OF OF WW + RRH to WWW". Provavelmente, as inscrições não significaram grande coisa para Eamonn Andrews, ex-funcionário da limpeza do Magdalen, que em 2002 invadiu o local, bebeu uísque do bar da faculdade e roubou o anel, bem como duas medalhas de outra coleção.


A Magdalen College rapidamente ofereceu uma recompensa de 3,5 mil libras para quem devolvesse o bem. Mas, após ser preso, o ladrão declarou ante um tribunal que tinha vendido-o a um negociante de sucata por apenas 175 euros. "Em 2015 surgiram rumores no mundo da arte, segundo os quais uma peça vitoriana 'gravada com letras em russo' tinha reaparecido", contou Brand à AFP. "Só podia se tratar do mesmo anel", afirmou. Por meio de suas conexões, em uma epopeia digna de um romance policial, ele acabou encontrando a joia.