capa

Livro de contos vence o Açorianos de Literatura

Juremir Machado da Silva venceu a categoria Ensaio de Literatura e Humanidades

Por
Luiz Gonzaga Lopes

Juremir Machado da Silva agradeceu o prêmio recebido e exaltou o povo negro para o qual o seu livro é dedicado

publicidade

O livro de contos “Cavalos de Cronos”, de José Francisco Botelho (Zouk) foi o grande vencedor do Livro do Ano do 25º Prêmio Açorianos de Literatura 2018. Vencedor da categoria Conto, a obra do foi anunciada como vencedora na cerimônia realizada na noite desta terça-feira no Teatro Renascença.

O evento da Coordenação da Literatura e Humanidades da Secretaria Municipal de Cultura teve vencedores em oito categorias, em cerimônia conduzida por Fernando Zugno, intercalada com músicas de Guilherme Goulart. Um dos grandes momentos da noite foram os prêmios especiais pelo conjunto da obra e pela relevância do trabalho cultural aos escritores: Armindo Trevisan, Carlos Nejar, Donaldo Schüler, Fernando Lucchese, Maria da Glória Bordini e Sergio da Costa Franco, que foram precedidos por miniaulas de escritores e professores sobre cada um dos autores.

Na categoria Ensaio de Literatura e Humanidades, o cronista do Correio do Povo Juremir Machado da Silva foi o vencedor com “Raízes do Conservadorismo Brasileiro”; na Infantil, deu “Agora Pode Chover”, de Celso Sisto; e na Infanto, “Horas Mortas”, de Antonio Schimeneck. Em Poema, venceu “Spoilers”, de Diego Grando; em Crônica, deu “Caixa de guardar vontades, de Emir Rossoni; e na Categoria Especial, o melhor livro foi “Hoje Eu Venci o Câncer”, de David Coimbra; ficando a Narrativa Longa com “De espaços abandonados”, de Luisa Geisler.