Morre Ginger Baker, lendário baterista e um dos fundadores do Cream
capa

Morre Ginger Baker, lendário baterista e um dos fundadores do Cream

Segundo familiares, músico morreu "em paz" em um hospital na manhã deste domingo

Por
AFP

Segundo familiares, músico morreu "em paz" em um hospital na manhã deste domingo

publicidade

Ginger Baker, baterista do grupo de rock britânico Cream, também formado por Jack Bruce (voz e baixo) e Eric Clapton (guitarra), faleceu aos 80 anos — anunciaram seus familiares pelo Twitter, neste domingo. "Estamos tristes por anunciar que Ginger faleceu, em paz, no hospital esta manhã. Obrigado a todos por sua gentis palavras nas últimas semanas", diz o tuíte publicado na conta do músico.

Baker é um dos três grandes bateristas britânicos da história do rock, que fizeram lenda na segunda metade dos anos 1960 junto com Charlie Watts (Rolling Stones) e Mitch Mitchell (Jimi Hendrix Experience). Nascido em Lewisham, bairro no sudoeste de Londres, em 1939, o músico deu seus primeiros passos no mundo do jazz britânico, que, à época, abria-se para o rhythm'n blues. Em 1962, substituiu Charlie Watts, que se incorporou aos Rolling Stones, no grupo de Alexis Corner. Ginger Baker se tornou uma lenda como membro dos Cream, o famoso trio composto também pelo guitarrista Eric Clapton e pelo baixista Jack Bruce. Nesse grupo, destacou-se por seus solos intermináveis e por seu estilo inconfundível.

Depois da dissolução do Cream em 1968, incorporou-se ao Blind Faith, antes de fundar a Ginger Baker's Air Force, junto com Stevie Winwood. Nele, interpretaram um rock psicodélico com toques de rythm'n blues, incursões na folk music, cantos indígenas e percussões africanas. Após sua passagem por Lagos, aonde foi para ampliar seus conhecimentos das polirritmias africanas, voltou para a Inglaterra e experimentou o rock progressivo. Nos anos 1980, fundou uma escola de bateria em Milão e, depois disso, mudou-se para a Califórnia, dedicando-se ao funk e ao afrojazz. Entre seus discos mais conhecidos, está "Going back home", de 1993, gravado com o guitarrista Bill Frisell e o contrabaixista Charlie Haden.