Nicole Kidman pede que os Estados Unidos apoiem Donald Trump

Nicole Kidman pede que os Estados Unidos apoiem Donald Trump

Atriz disse que é preciso que o país dê suporte ao seu presidente, independentemente de quem seja

Correio do Povo

Atriz fez comentário durante entrevista à emissora britânica BBC

publicidade

Enquanto grande parte da classe artística de Hollywood tem gastado seu capital político para criticar o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, Nicole Kidman tomou um rumo diferente - e certamente inesperado. Durante uma entrevista à emissora BBC, a estrela do longa "Lion" declarou que o republicano precisa ser apoiado pela população. "Nós, como país, precisamos apoiar quem quer que seja o presidente, porque assim que o país cria sua base. Isso (eleição de Trump) aconteceu, ele está lá, e nós precisamos seguir em frente", declarou a atriz, que possui cidadania norte-americana e australiana.

"O que eu quero dizer é que ele foi eleito", continuou. Ao invés de declarar apoio a outros candidatos, a vencedora do Oscar em 2002 por seu papel em "As Horas", disse que se preocupa com questões específicas, não com pessoas em particular. "Eu normalmente resisto a comentar sobre política, seja nos Estados Unidos ou na Austrália, onde nasci. Hoje posso dizer que estou comprometida com uma causa, que é a luta feminista".

Embaixadora da Boa Vontade da ONU, a artista de 49 anos disse que faz "levantamento de fundos para o câncer de mama e de ovário, porque isso é algo que afetou minha família profundamente. Esses são os problemas aos quais eu estou muito apegada". Quanto à política australiana, seu país de origem foi envolvido em uma batalha sobre a legalização do casamento gay, ela disse que é fazor da liberdade de amar: "acredito em permitir que as pessoas que se amam compartilhem suas vidas. Eu realmente acredito que devemos ficar fora das decisões das pessoas. Eu amo quando as elas se amam".

As declarações de Nicole causaram controvesas nas redes sociais. Enquando usuários pró-Trump elogiaram a coragem da atriz em "falar o que precisava ser dito" e a parabenizaram pela eloquência no comentário, apoiadores do Partido Democrata disseram que a fala da atriz era controversa. "Ela diz que defende o direito das mulheres, mas pede apoio a um machista", tuitou uma internauta.

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895