O duelo de Ridley Scott e o terror de Myers

O duelo de Ridley Scott e o terror de Myers

Chegam às telas uma emocionante história de traição e vingança e uma sequência de ‘Halloween’

Marcos Santuario

‘O Último Duelo’ conta emocionante história de traição e vingança em meio à brutalidade da França do século 14

publicidade

Com direção e roteiro do cultuado realizador Ridley Scott e com elenco formado por Matt Damon, Adam Driver, Jodie Comer e Ben Afleck, estreia nesta quinta-feira nos cinemas “O Último Duelo”. A obra trata de contar uma emocionante história de traição e vingança, pelos olhos do cineasta visionário, contra a brutalidade da França em pleno século 14. O épico histórico é um drama cinematográfico com roteiro instigante e que explora algumas temáticas que ainda hoje nos fazem pensar. Entre elas, o poder onipresente dos homens, a fragilidade da justiça e a força e coragem de uma mulher disposta a permanecer sozinha defendendo uma verdade. 

A produção é baseada em fatos reais e procura desvendar suposições antigas sobre o último duelo sancionado pela França entre Jean de Carrouges e Jacques Le Gris. Os homens eram amigos, até que se tornaram rivais. O elemento que os separou se relaciona com o momento em que a esposa de Carrouges, Marguerite, é violentamente atacada por Le Gris, em uma acusação que ele nega. Mas ela se recusa a ficar em silêncio e acusa seu agressor, em um ato de bravura não imaginado e que acaba se tornando um desafio para aquela sociedade. O julgamento de combate que se seguiu aos acontecimentos levou ao famoso duelo do título do filme. Momento de confronto extenuante até a morte, e que colocou o destino de todos os três nas mãos de Deus. Na tela a mescla do drama e da ação.

A outra novidade nos cinemas é “Halloween Kills: O Terror Continua”, produção escrita por Scott Teems, Danny McBride e David Gordon Green, baseada em personagens criados por John Carpenter e Debra Hill. O filme da sequência ao fenômeno global de 2018, “Halloween”, dirigido pelo mesmo David Gordon Green. Estrelado pela ícone Jamie Lee Curtis o filme de 2018, foi um sucesso nas bilheterias, arrecadando mais de 250 milhões de dólares em todo o mundo, tornando-se o capítulo de maior bilheteria da franquia de quatro décadas. 

“Halloween Kills: O Terror Continua” é novamente dirigido por Green e produzido por nomes que incluem John Carpenter, a própria Jamie Lee Curtis. A trama mostra que a noite de Halloween, quando Michael Myers voltou, ainda não acabou. Mas, se na obra de 2018, em plena era do #MeToo, a ideia apontava ao trauma de mulheres como a protagonista, sobreviventes alimentadas por um estresse pós traumático, agora a violência até se torna catarse. 

Em “Halloween Kills”, Laurie (Jamie Lee Curtis), sua filha Karen (Judy Greer) e sua neta Allyson (Andi Matichak) se dão conta de que não conseguiram matar ao monstro mascarado Michael Myers, enjaulado e queimando no porão. Quando Michael consegue se livrar da armadilha, seu ritual de banho de sangue recomeça. A partir deste fracasso e do susto decorrente, elas acabam inspirando outras vítimas de Myers daquele povoado a unir forças e terminar com o pesadelo iniciado em 1978.
Aliás, foi naquele momento, com Jamie Lee Curtis aos 19 anos, que a franquia começou. Hoje, a atriz, que acaba de receber, no Festival de Veneza, um prêmio por sua trajetória, segue sustentando que tem “atuação eficaz” pois se assusta mesmo.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895