'Palácio do Fim' ganha versão audiovisual pela Cia. Incomode-te

'Palácio do Fim' ganha versão audiovisual pela Cia. Incomode-te

Esta é a primeira montagem gaúcha para o premiado texto da canadense Judith Thompson

Atriz Liane Venturella na montagem de 'Palácio do Fim’

publicidade

A primeira montagem gaúcha para o consagrado texto da dramaturga canadense Judith Thompson “Palácio do Fim” ganha uma uma versão audiovisual, com apresentações de de hoje até o dia 16, e sessões de quartas a domingo, às 20h. Há um ano, a pandemia provocada pela Covid-19 interrompeu a temporada de estreia da pela da Cia. Incomode-te. Foram realizadas somente  quatro performances para marcar os 12 anos da companhia.  Toda a renda arrecadada vai ser revertida para a Casa do Artista Riograndense, mantida apenas por doações.  

A novidade vai tornar a peça ainda mais acessível ao público, que vai contar com audiodescrição e intérprete em libras da Ovni Acessibilidade Universal. Editada por Juan Quintáns e gravada com três câmeras, a versão remota tem direção em vídeo do cineasta Boca Migotto, responsável pela produção e direção de fotografia. Migotto diz que aproveitou a luz original e conseguiu gravar com várias câmeras de uma só vez. “Não foi preciso refazer nenhuma cena, nenhum take. Dessa forma, foi possível captar os atores em diversos planos e, ao mesmo tempo, garantir a naturalidade do elenco e manter a obra o mais próximo possível à versão criada para ser assistida presencialmente”, detalha Migotto.  

“Palácio do Fim” mescla drama e documentário, sendo composto por três histórias que dimensionam um dos mais brutais e longos conflitos armados do século, a ocupação norte-americana no Iraque (2003-2011). O título é uma referência ao prédio onde eram colhidos depoimentos de presos políticos durante a guerra. A direção geral é de Carlos Ramiro Fensterseifer. Liane Venturella e Nelson Diniz compõem o elenco, que conta com participações especiais de Fabiane Severo e Sandra Possani.  

A trilha sonora original é do premiado músico Angelo Primon e a iluminação, de Nara Maia. Alexandre Navarro assina a cenografia e Guilherme Carravetta De Carli, a criação e edição dos vídeos. Produzido pela Primeira Fila Produções, o projeto foi contemplado pelo Edital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul para o fomento à cultura, em atendimento ao previsto à Lei Federal Aldir. Ingressos pelo site Entreatros Divulga.  


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895