Para Alec Baldwin, ninguém será acusado criminalmente por morte em set

Para Alec Baldwin, ninguém será acusado criminalmente por morte em set

A diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu em outubro passado atingida por disparos de uma arma que Baldwin segurava

AFP

Em outubro de 2021, em ensaio de filme Alec Baldwin acabou matando mulher com arma cenográfica

publicidade

O ator americano Alec Baldwin acredita que ninguém será acusado criminalmente pela morte de uma pessoa durante a filmagem do western "Rust" e contratou um detetive particular para investigar os fatos, segundo declarações exibidas nesta sexta-feira (19) pela emissora CNN.

A diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu em outubro passado atingida por disparos de uma arma que Baldwin segurava, enquanto ensaiava no set de filmagem no Novo México.

A investigação criminal sobre o incidente está em andamento e os promotores não descartam apresentar acusações contra os envolvidos. "Acredito sinceramente... (que os investigadores) vão dizer que foi um acidente", disse Baldwin em uma das raras entrevistas que deu sobre o episódio.

O ator disse à CNN que nos últimos dez meses relembrou mais de uma vez o ocorrido e que havia contratado um detetive particular para investigá-los. Embora tenha insistido em que não quer "condenar" Hannah Gutiérrez-Reed, a armeira e assistente de cenografia, destacou que tanto ela quanto o assistente do diretor Dave Halls, que entregou a arma ao ator momentos antes dos disparos, têm responsabilidade no ocorrido.

"Alguém pôs uma bala real na arma e deveria tê-lo sabido", disse Baldwin. "Esse era o trabalho (de Gutiérrez-Reed). Seu trabalho consistia em observar as munições (...) e não se supunha que houvesse munição real no estúdio." "Há duas pessoas que não fizeram o que deveriam ter feito (...) Não quero que vão para a prisão ou que suas vidas virem um inferno. Não quero isso, mas quero, sim, que todos saibam que estas são as duas pessoas responsáveis pelo que ocorreu", acrescentou.

Baldwin, protagonista e produtor de "Rust", foi alvo de várias ações civis pelos disparos. Anteriormente, tinha contado que lhe disseram que a arma não continha munição real, que Hutchins lhe havia dito que apontasse a arma em sua direção e que não apertou o gatilho.

Mas um relatório recente do FBI concluiu que a arma não poderia ter disparado sem que o gatilho fosse apertado. Gutiérrez-Reed processou o fornecedor de munições do filme, acusando-o de que havia munições reais entre os cartuchos de festim.

O advogado dela, Jason Bowles, criticou na quinta-feira o FBI por não fazer exames de DNA ou das impressões digitais para estabelecer quem havia manipulado as balas reais encontradas no set. "É inconcebível que o xerife não busque respostas para esta pergunta fundamental, o que representa um sério problema para toda a investigação", afirmou em nota.

Após a última entrevista de Baldwin, os advogados de Gutiérrez-Reed e de Halls disseram à CNN que o ator estava tentando desviar a atenção. Baldwin também aproveitou a entrevista à CNN para comentar a insinuação do ex-presidente Donald Trump de que o ator poderia ter matado Hutchins de propósito.

Trump disse no ano passado que Baldwin, que o imitava e ridicularizava na televisão, era um "cara problemático" e sugeriu que "talvez tenha carregado" a arma. Baldwin disse à CNN que isso o deixou preocupado pela possibilidade de que simpatizantes de Trump "viessem me matar".

"Aí estava Trump, que instruía as pessoas a cometer atos violentos, e que estava me apontando o dedo e dizendo que eu era responsável pela morte" de Halyna Hutchins, disse o ator.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 1 de maio de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895