Proust na Praça da Matriz e na Biblioteca Pública do Estado

Proust na Praça da Matriz e na Biblioteca Pública do Estado

Nas quintas-feiras, às 17h, são feitas leituras de obras de Marcel Proust - um convite para visitar a exposição “Caminhos de Proust"

Correio do Povo

Cartaz da exposição "Caminhos de Proust" na Biblioteca Pública do Estado até 17 de fevereiro

publicidade

Às quintas-feiras, às 17h, e, aos sábados, às 16h, dentro do programa denominado “Leituras na Praça”, trechos de obras de Marcel Proust são levados ao público na Praça da Matriz, no Centro Histórico. A ação integra o Projeto Educativo da mostra “Caminhos de Proust”, em cartaz na Biblioteca Pública do Estado (Rua Riachuelo, 1190).A visitação gratuita segue até 17 de fevereiro, de segundas a sextas, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 17h.

Leitura na Praça da Matriz 



Caminhos de Proust - A mostra, que marca o centenário de morte do escritor francês Marcel Proust (1871-1922), um dos mais prestigiados da literatura ocidental, tem curadoria do médico e escritor Gilberto Schwartsmann. Ao percorrer a exposição, o visitante tem a oportunidade de entrar em contato com a história da França entre 1871 e 1922, período em que Proust viveu, e que foi marcado por incríveis descobertas e acontecimentos históricos, científicos, sociais e artísticos que desenharam a geografia política e cultural que conhecemos no mundo atual.

Madeleines e memória afetiva - À entrada, Proust, em tamanho natural, receberá os visitantes. Uma grande linha do tempo perpassa toda a exposição, a qual vai desde a Guerra Franco-Prussiana, passando pelo caso Dreyfus, a Comuna de Paris e a Primeira Guerra Mundial, numa contextualização histórica, política e sociocultural, que retrata uma época de grandes transformações, período no qual também viveram Freud e Einstein. A mostra usa tecnologia contemporânea para expressar de forma clara e acessível a riqueza da literatura.

Proust e Porto Alegre -  A primeira tradução da obra de Proust no Brasil foi realizada em Porto Alegre, por Mario Quintana, que terá um espaço especial, ao lado da Editora Globo, marcando a introdução da obra de Proust na língua portuguesa. Foi em 1948 que Quintana traduziu os quatro primeiros volumes de “À la recherche du temps perdu".

Para as crianças - As crianças serão contempladas com uma sala especial. Ninguém menos do que Proust, em uma animação, irá passar a elas o valor e a importância da leitura na infância.

Textos e personagens - O Salão Mourisco da Biblioteca Pública foi o local escolhido para o visitante ouvir textos de Proust, na voz do ator e diretor gaúcho Zé Adão Barbosa. Seis alto-falantes irão transmitir o conteúdo, cuidadosamente escolhido pelo curador Gilberto Schwartsmann.

Imagens Sedac / Divulgação


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 17 de abril de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895