R. Kelly é condenado a 20 anos de prisão por pornografia infantil

R. Kelly é condenado a 20 anos de prisão por pornografia infantil

Os promotores descreveram o artista como um "predador sexual em série"

AE

R. Kelly preso

publicidade

Um juiz federal condenou o cantor R. Kelly a 20 anos de prisão em Chicago nesta quinta-feira, 23, após ter sido condenado por pornografia infantil e seduzir menores a cometer atos sexuais, mas disse que completará quase toda a sentença concomitantemente com outra sentença de 30 anos imposta no ano passado em Nova York por acusações de extorsão.

O juiz distrital dos EUA Harry Leinenweber ordenou que Kelly cumprisse um ano adicional de prisão após sua sentença em Nova York.

Os promotores haviam pedido uma sentença suficientemente longa para impedir Kelly de sair vivo da prisão, citando seus crimes contra crianças e sua falta de remorso. Com a sentença desta quinta-feira, Kelly estará na prisão por 31 anos. Isso significa que ele poderá ser libertado quando estiver na casa dos 80 anos, dando-lhe alguma esperança de sair da prisão vivo.

Leinenweber disse no início da audiência que não aceitou o argumento do governo que acusou Kelly de usar o medo para fazer sexo com meninas menores de idade.

"Toda a teoria (do governo) do contato para ganhar a confiança das menores era de alguma forma o oposto de medo de danos físicos", disse o juiz ao tribunal. "O medo de perder o amor, de perder o afeto (de Kelly)... não me parece criar medo de dano físico."

Kelly falou brevemente no início da audiência, quando o juiz lhe perguntou se ele havia revisado os principais documentos de pré-sentença por qualquer imprecisão. "Meritíssimo, eu revisei com meu advogado", disse Kelly. "Eu confio em meu advogado para isso". Dois dos acusadores de Kelly tinham pedido ao juiz que o punisse severamente.

Em uma declaração lida em voz alta no tribunal, uma mulher testemunhando sob o pseudônimo "Jane" disse que havia perdido suas aspirações de se tornar uma cantora e esperava recompensar as relações. "Perdi meus sonhos para Robert Kelly", disse. "Nunca recuperarei o que perdi com Robert Kelly. (...) Estou permanentemente marcada."

A mulher foi uma testemunha-chave para os promotores de justiça. Quatro das condenações de Kelly estão ligadas a ela. "Quando você perde sua virgindade aos 14 anos para um pedófilo... sua vida nunca mais é sua", observou Jane.

Outra testemunha, que usou o pseudônimo "Nia", compareceu à audiência e falou diretamente com Kelly no tribunal. Com voz entrecortada, Nia disse que Kelly costumava enfatizar seus supostos fracassos enquanto abusava dela.

"Você está aqui agora... porque há algo de errado com você", disse. "Você não será mais capaz de ferir menores de idade."

O júri em Chicago condenou Kelly no ano passado por seis acusações em 13: três acusações por produzir pornografia infantil e três acusações de seduzir menores a cometer atos sexuais. Kelly foi absolvido da acusação que mais chamou a atenção, o que argumentou que ele adulterou seu julgamento estatal de 2008 sobre pornografia infantil.

Kelly, cujo nome dado é Robert Sylvester Kelly, cresceu na pobreza em Chicago e se tornou uma estrela internacional de R&B com sucessos como "I Believe I Can Fly" e a canção "Bump n’ Grind", vendeu milhões de álbuns, mesmo depois que alegações de seu abuso de meninas menores de idade começaram a se tornar públicas nos anos 1990.

Em documentos pré-sentença, os promotores descreveram Kelly como um "predador sexual em série" que usou sua fama e fortuna para atrair, abusar sexualmente e descartar admiradoras impressionadas por sua fama. A procuradora-assistente Jeannice Appenteng instou o juiz a emitir uma sentença mais longa e manter Kelly na prisão "para o resto de sua vida".

O abuso infantil de Kelly foi pior, disse ela, porque ele o "memorializou" ao filmar as vítimas, inclusive Jane. A promotora-assistente disse que Kelly "usou Jane como um objeto sexual, uma coisa" para produzir vídeos pornográficos.

Em documentos anteriores à audiência, a advogada de Kelly Jennifer Bonjean acusou os promotores de oferecer "uma narrativa embelezada" na tentativa de conseguir que a juíza alinhasse com o que ela chamou de "campanha sangrenta do governo para transformar Kelly em um símbolo do movimento #MeToo".

Bonjean disse que Kelly já sofreu o suficiente, inclusive financeiramente. Ele disse que sua fortuna já foi estimada em US$ 1 bilhão, mas agora está "estripada".

No tribunal na quinta-feira, Bonjean disse que Kelly terá sorte de sobreviver aos seus 30 anos de pena somente em Nova York.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 17 de abril de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895