Relações entre família e amigos são temas de atrações em Porto Alegre nesta terça
capa

Relações entre família e amigos são temas de atrações em Porto Alegre nesta terça

Uma das atrações, comédia "90 Ceias" acompanha grupo familiar durante o Natal

Por
Correio do Povo

Comédia "90 Ceias" integra programação do Porto Verão Alegre


publicidade

Um convite aos espectadores para que acompanhem a trajetória de uma família durante o ritual natalino é o mote de “90 Ceias”, atração do Porto Verão Alegre de hoje até a próxima quinta, 20h, na Sala Álvaro Moreyra (Erico Verissimo, 307). Vitória Titton dirige a montagem, que se passa na casa de matriarcas, entre as músicas, as comidas e os momentos emocionantes que marcam essa história. Sobem ao palco Bruna Casali, Eriam Schoenardie, Lauro Fagundes, Marina Fervenza e Maurício Schneider. 

Nora Prado assina a direção de “Lembranças de um Lago Dourado”, crônica sobre a amizade, o amor e a brevidade da vida, que está no Teatro do Sesc (Alberto Bins, 665), de hoje até quinta, sempre às 20h. Na atração, dois grandes amigos, Ramiro (Paulo Vicente) e Bernardo (Cláudio Benevenga), se reencontram, depois de anos, em uma casa de repouso.

A nova convivência faz com que encarem as limitações da velhice, doenças e o confronto com a própria morte, suscitando uma reflexão sobre a existência. O reencontro, também, traz à tona as lembranças dos anos dourados da infância e juventude passados numa cidade do Interior onde prevalece o humor, o lirismo e a poesia. Também no elenco, Ciça Reckzieguel, interpretando sete papéis. 

O Coletivo Errática monta “Ramal 340: Sobre a migração das sardinhas ou por que as pessoas simplesmente vão embora”, também desta terça a quinta, às 21h, no Teatro Renascença (Erico Verissimo, 307). Em cena, fragmentos de seis histórias de viagens, despedidas e encontros, em um fluxo veloz e não linear.


Estas narrativas envolvem pessoas espalhadas no espaço e no tempo do mundo, ligadas pelo movimento, pelo desejo, pela falta ou simplesmente pela completa incompreensão sobre a própria experiência. Estas histórias se encontram, dobram-se umas sobre as outras e se multiplicam, mostrando como a vida se transforma inesperadamente. De Francisco Gic, a peça tem direção de Jezebel De Carli.