Série “O Fim do Fim” ganha destaque internacional

Série “O Fim do Fim” ganha destaque internacional

Filmes distópicos de Romy Pocztaruk e Caio Amon tem participações em festivais e lançamento de single

Vera Pinto

Cantora trans Valéria no curta-metragem “Antes do Azul”

publicidade

“O Fim do Fim”, série de filmes transmídia de Romy Pocztaruk e Caio Amon, participará com o curta “Antes do Azul” no Outfest Los Angeles, maior festival de cinema LGBTQ e cultura Queer dos Estados Unidos, que em 2020 conta também com exibição on-line. O filme, lançado no Instituto Ling, em Porto Alegre, faz parte da sessão Platinum, com curadoria da artista e ativista Zackary Drucker, produtora da série “Transparent”. O trabalho com performance da cantora Valéria, textos do escritor Daniel Galera e fotografia de Lívia Pasqual, será exibido neste sábado, dia 22, literalmente sob as estrelas, pois fará parte da programação do drive-in que o festival organizou em um resort em Malibu.
 
“Antes do Azul” imagina trincheiras possíveis para sobreviver a um futuro distópico, em que o avanço tecnológico descontrolado acelera processos de destruição - objetiva e subjetiva - da humanidade. A protagonista do curta, uma mulher trans e negra interpretada pela cantora e atriz Valéria, é a última sobrevivente de um acidente nuclear, e sua voz canta por um novo lugar, antes invisível. No dia 29 deste mês, o curta marcará presença no Fuso Festival, principal festival aberto de videoarte de Lisboa (Portuga)l, em edição online.
 
Projeto “O Fim do Fim”
Para o projeto “O Fim do Fim”, Romy Pocztaruk e Caio Amon criam universos visuais e sonoros, onde artistas convidados possam habitar. A criação parte da imaginação de processos de "fim do mundo" associados a teorias queer e decoloniais, projetando futuros possíveis nos quais a arte é um dos rastros deixados pela humanidade. Com colaboração de textos de Daniel Galera, o projeto iniciou em 2018 com “Safira” (2018), estreou “Antes do Azul” em 2019, e prepara um novo filme, com lançamento previsto para o final de 2020.  Trata-se de um laboratório de novas linguagens, construídas através de narrativas híbridas, processos colaborativos e intensa intersecção entre música e imagem. 

O compositor e produtor musical Caio Amon assina a direção musical, que inclui canções de sua autoria em colaboração com Filipe Catto, Valéria, Romy Pocztaruk, Daniel Galera e o músico e produtor Marcelo Cabral. A proposta transmídia do projeto prevê, além de uma série de filmes, o lançamento de músicas e clipes nas redes de streaming. No dia 24 de agosto será lançado o primeiro single musical, a faixa e videoclipe “Safira”, interpretado por Filipe Catto, que será disponibilizado no Spotify, Youtube e redes de streaming. Na sequência, serão lançados “Blue Echoes” e “Fim Tempos” na voz de Valéria, além de uma nova faixa em andamento em colaboração com Saskia, todas com direção e produção musical de Caio Amon.

“Safira” conta com direção de fotografia de Lívia Pasqual, estreou no Loop Festival,  em Barcelona (2019) e foi realizado durante a 11ª Bienal do Mercosul (2018). Estrelando Filipe Catto como ator e cantor, o curta é um trabalho sensorial que mistura imagens captadas em diferentes formatos com imagens de arquivo. Ele evoca a presença humana através dos paralelos entre homem e animal e a expansão devastadora do espaço, após a queda de um meteoro. Mais detalhes está no Instagram @o fim do fim. 
  
 
Artistas: 
Romy Pocztaruk apresenta proposições poéticas que partem do cruzamento entre diferentes disciplinas, como ciências e história, com o campo das artes visuais e do cinema. Participou da bienal do Mercosul em 2013 e 2015, da Bienal de São Paulo em 2014 e do 35º Panorama da Arte Brasileira em 2017.  Foi uma das ganhadoras do prêmio Foco-ArtRio em 2016 e finalista do prêmio PIPA em 2018, além de participar de várias exposições individuais e coletivas. Em suas investigações e pesquisas, coloca em evidência o papel do artista frente às questões políticas e históricas do mundo, seja no passado, presente ou futuro.
www.romypocz.com
 
Caio Amon é diretor musical e compositor, formado pelo Conservatório de Amsterdã, pelo Musicians Institute de Los Angeles e pela Faculdade de Filosofia da PUCRS. Sua produção e pesquisa atual conectam de maneira criativa música erudita e pop, desenho de som e mídias audiovisuais. Desde 2001, compõe e produz trilhas para cinema, artes cênicas e visuais reconhecidas com prêmios e participações em festivais: Melhor Trilha Sonora no Festival Internacional de Cinema de Gramado (Vento / 2016), Prêmio Açorianos de Teatro de Melhor Trilha (Expresso Paraíso/2019 e Habitantes d'Ela / 2016), RBS Histórias Curtas (O Homem que Conserta Estrelas / 2013), participação no Outfest Film Festival (Antes do Azul / 2020), Bienal do Mercosul 2018, FILE 2015 e KinoBeat 2018 (Habitantes d’Ela, Onda, Beej). Colaborou com artistas e instituições de destaque no Brasil e exterior como Felipe Catto, Valéria Barcellos, Romy Pocztaruk, Olinda Allessandrini, Fernando Cordella, Holland Opera, Nieuw Ensemble/Atlas Ensemble (Holanda), entre outros.
 

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895