"Todos Já Sabem" reúne Penélope Cruz e Bardem em drama psicológico

"Todos Já Sabem" reúne Penélope Cruz e Bardem em drama psicológico

Longa narra drama de um casal que tem filha sequestrada

Por
Luiz Gonzaga Lopes

Drama tem precisão narrativa e ritmo crescente


publicidade

Ter um filho é querer vê-lo crescer, nunca se separar dele, cuidar dele até que ele fique independente e nunca vê-lo em perigo. “Todos Já Sabem” que estreia nesta quinta-feira nos cinemas é um drama psicológico que nos envolve. Com a precisão narrativa e o ritmo crescente assegurados pelo diretor iraniano Asghar Farhadi (dos premiados “A Separação”, “O Passado”) e o trio principal do elenco dando a densidade dramática necessária à história, a fórmula é quase certa de um belo filme. Laura (Penélope Cruz), viaja de Buenos Aires, na Argentina, com seu casal de filhos para sua cidade natal, um pequeno pueblo na Espanha, onde participará da cerimônia de casamento de sua irmã. Durante a festa, a sua filha é sequestrada. 

• Jornalistas do CP sugerem favoritos ao Oscar de melhor atriz e ator

Quanto mais o mistério do desaparecimento da filha, do sequestro, avança, mais as camadas de segredos que existiam entre ela, o ex-namorado Paco (Javier Bardem) e o marido Alejandro (Ricardo Darín) começam a se mover em direção a uma verdade que precisa aflorar.

Os descontentamento da família de Laura pela venda das terras da família, desconfianças e discussões crescendo ao estilo “Festa de Família”, de Lars Von Trier, dão ao filme uma organicidade que chega à recepção do público pelos laços familiares e relações paterno-maternais.