Um festival para mudar a forma de ver teatro

Um festival para mudar a forma de ver teatro

O 27º Porto Alegre em Cena será realizado de 21 a 31 de outubro, de forma virtual, com espetáculos, performances, instalações, projeções e outras ações

Atração inicial do festival será a video-performance-instalação “Marcha À Ré”, no dia 21 de outubro, às 21h

publicidade

O 27º Porto Alegre Em Cena, que será realizado de 21 a 31 de outubro, é a mostra de reinvenção, de transformação da arte e da forma como o público assiste e entende o teatro, conforme os organizadores. Os palcos serão virtuais, assim como as ruas de Porto Alegre e a casa dos espectadores. A programação se inicia com a estreia nacional da video-performance-instalação “Marcha À Ré” (dia 21, 21h), que é um filme de Eryk Rocha, a partir da performance do Teatro da Vertigem e Nuno Ramos. "É um dos acontecimentos mais importantes do ano e marca o início do processo de coproduções do Porto Alegre em Cena. Fizemos o trabalho em conjunto com os artistas e a Bienal de Performance de Berlim”, destaca o diretor do Em Cena, Fernando Zugno.

 

Em seguida, a produção escocesa “Body A” (de 21 a 30, às 20h30min), uma vídeo-instalação, de Colette Sadler e Mikko Gaestel. A obra reenquadra a ideia de tecnologia e testa limites sobre a relação entre humano e não humano, entre corpo e dados/informação. O espetáculo tem transmissão no Canal em Cena e projeções em prédio de Porto Alegre. “As I Collapse” (dias 29 e 30), da Dinamarca, é outra produção internacional. O Em Cena vai interagir com o público com apresentações individuais, locais, internacionais, nacionais, lives, discussões e o formato será por meio de projeções, ligação telefônica, WhattsApp, Zoom, e-mail, Instagram, YouTube, Spotify, Deezer.

 

Entre as exibições nacionais estão confirmados “Sete Estrelas do Grande Carro 2015-2020”: livro digital e galeria virtual do Teatro Máquina de Fortaleza, “Juntos e Separados”, da Anti-Status Quo de Brasília, “Tudo que Coube em uma VHS”, do grupo Magiluth de Recife e a residência artística “Forte’, da Inquieta Cia., de Fortaleza com os artistas de Porto Alegre. Também haverá espetáculos e produções locais selecionados por chamamento público. As instalações urbanas-humanas serão executadas, sem aglomerações, em pontos da cidade. Neste ano, os palcos de teatros locais não serão ocupados pelo festival, mas o preenchimento será feito com novas ideias de manifestações, de criações e de espetáculos. O isolamento social não exige isolamento cultural. E a 27ª edição do Porto Alegre Em Cena será, ao mesmo tempo, a prova disto e um registro histórico de como fazer teatro em um cenário tão adverso como o atual.  

 

Ao todo serão 20 conversas sobre criações (10 nacionais/internacionais e 11 locais); 10 performances locais no Em Quadros; - 10 espetáculos/obras locais do Braskem em Cena, 5 instalações urbanas-humanas presenciais, 5 lives com Valéria Barcellos e convidados; 11 podcasts com Bruna Paulin, 10 apresentações de áudio-teatro; e 1 galeria virtual, entre outras atividades.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895