Depilação a laser em pele preta: veja dicas e cuidados necessários para realizar o procedimento

Depilação a laser em pele preta: veja dicas e cuidados necessários para realizar o procedimento

Especialistas destacam a importância de procurar um local capacitado para realizar o atendimento

R7

publicidade

Quando o assunto é depilação, mulheres e homens ficam com muitas dúvidas sobre qual o protocolo indicado, os cuidados necessários, consequências e dicas para ter um resultado satisfatório. Adicionando o fator “pele negra” na equação, as dúvidas só aumentam. Pensando nisso, o R7 falou com uma dermatologista e uma esteticista, especializadas no atendimento de pessoas pretas, e trouxe respostas para alguns destes questionamentos.

A médica Camila Rosa é categórica e afirma que o melhor procedimento para as peles pretas (claras ou retintas) é a depilação a laser e fala da importância de procurar um local capacitado para realizar o atendimento. “Todos os processos de remoção de pelos geram microtraumas na pele, que podem causar hiperpigmentação. O laser aumenta o intervalo das sessões e diminui esses riscos quando realizado por profissionais habilitados e com as máquinas próprias”, explica a dermatologista.

Camila aproveita para avisar sobre os riscos do procedimento, quando feito de maneira errada: “O maior deles é a alteração da pigmentação da pele. Isso pode acontecer por lesão no ato da depilação, como queimadura, podendo ser hipercromia (escurecimento) ou hipocromia (clareamento) da pele.”

A médica também alerta para uma infecção que é muito frequente em peles pretas: a foliculite. Camila dá uma dica para lidar com os nódulos e com zonas escurecidas do corpo: “O ideal é sempre manter a pele muito hidratada, e realizar esfoliação de dois a três dias antes, e três dias após a depilação.”

Para a hora de colocar a mão na massa, Zarah Flor Rizzo, formada em Estética e Cosmetologia, com especialização em pele negra, criou um método seguro e indolor de depilação. “Fiz vários testes até desenvolver um protocolo indolor e com resultados eficazes. Nosso laser emite um comprimento de onda específico, onde o alvo é o pelo. Ele é capaz de distinguir o que é pelo e o que é pele, potencializando o resultado e diminuindo a dor”, diz.

A esteticista ensina a diferença entre o procedimento convencional e o desenvolvido em sua clínica: “Durante a depilação tradicional, o laser é atraído pela melanina — que é o pigmento presente nos pelos e na pele —, e não consegue distinguir entre um e outro. Por essa razão, no caso de peles com muita melanina, os raios podem causar queimaduras, dor e desconforto.”


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895