A retomada do mercado de trabalho e da renda no Brasil

A retomada do mercado de trabalho e da renda no Brasil

Por: José Carlos Oliveira*

publicidade

O Brasil atingiu seu recorde histórico de 42.239.251 de empregos formais, no mês de julho de 2022, segundo dados apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A estimativa feita pelo governo em janeiro de 2022 era de 1,5 mi de empregos gerados no ano. No mês de julho, passados apenas 7 meses, nós já superamos a expectativa, com 1.560.896 novos empregados.

O crescimento do emprego vem acontecendo em todas as regiões do país, Norte, Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul. No mês de julho os 27 estados brasileiros tiveram saldo positivo, sendo que seis estados fecharam o mês tendo criado mais de dez mil novas vagas formais: São Paulo (67.009), Minas Gerais (19.060), Paraná (16.090), Rio de Janeiro (13.434), Bahia (13.318) e Ceará (10.108).

É possível observar que o semestre foi extremamente produtivo e que estamos no caminho certo. O governo está dando segurança aos empresários e empreendedores, que acreditam cada vez mais no mercado brasileiro. Importante destacar também que houve crescimento de empregos criados nos cinco segmentos da economia: serviços (81.873), indústria (50.503), comércio (38.574), construção civil (32.082) e agropecuária (15.870), com efeitos importantes na vida das pessoas. 

O mês de julho é o segundo mês consecutivo que o salário real de admissões cresce. Isso é muito importante, pois o efeito desse crescimento tem influência de maneira positiva na vida das pessoas. Três fatores contribuíram para esse crescimento importante: a queda da inflação, a participação da indústria e a queda do desemprego. Essa é uma vitória para o país, para a população brasileira. É possível observar o ânimo dos cidadãos ao andar pelo Brasil. Para vencer é necessário trabalhar, perseverar e dar sua parcela de contribuição à sociedade. Essa animação é fruto da retomada do emprego. 

* Ministro do Trabalho e Previdência


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895