Acessos asfálticos no Rio Grande do Sul

Acessos asfálticos no Rio Grande do Sul

Juvir Costella

publicidade

Recentemente, assinamos com o governador Eduardo Leite duas ordens de início para o começo das obras dos acessos municipais de Novo Tiradentes, na Região Norte, e Barão do Triunfo, na Região Metropolitana. Somente para essas duas iniciativas do Governo do Estado, o investimento é superior a R$ 71 milhões.

Para entender melhor a importância dessas obras, relembremos o ano de 2019. No início da primeira gestão de Eduardo Leite, o Estado tinha 62 municípios sem acesso pavimentado.

Hoje, em 2024, avançamos muito e a situação é bem diferente: 17 obras foram concluídas, 23 estão em fase de execução, 11 devem ser iniciadas em breve e outras 11 estão em fase de projeto.

É inaceitável que, em pleno século 21, ainda tenhamos cidades gaúchas sem o seu acesso, pois a ligação efetiva entre municípios traz mais segurança aos usuários, mas, sobretudo, muda a realidade dos municípios, atraindo novos investimentos, gerando emprego e renda.

Neste contexto, a nossa meta de governo é clara: até 2026, ter 100% dos acessos prontos ou, no mínimo, 80% deles concluídos e os 20% restantes têm de estar em obras.

Aliás, a alocação de recursos em novas obras evidencia o nosso compromisso de trazer mais dignidade às comunidades e, claro, atuar diretamente no fortalecimento, crescimento de todas as regiões gaúchas.

Esse conceito, portanto, está aplicado nos investimentos feitos até aqui. Nos últimos três anos, já foram destinados mais de R$ 2,5 bilhões para a melhoria das rodovias estaduais, quase sete vezes mais do que o Daer investiu, em média, anualmente na última década.

Todos esses investimentos, é importante ressaltar, vêm sendo viabilizados pela capacidade do Estado de manter o equilíbrio fiscal das contas e são feitos com recursos do caixa, sem a necessidade de recorrer a empréstimos ou a financiamentos externos.

Seguimos comprometidos em trabalhar incansavelmente para vencer desafios e alcançar nossos objetivos: garantir um futuro melhor, próspero e com mais qualidade de vida para todos.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895