Sapucaia do Sul treina crianças para reduzir mortes por AVC

Sapucaia do Sul treina crianças para reduzir mortes por AVC

Projeto 'Fast Heroes 192' Capacita Crianças para Salvar Vidas em Sapucaia do Sul

Diógenes Guimarães Zãn

publicidade

No mês em que lembramos o Dia Mundial de Combate ao Acidente Vascular Cerebral (29 de outubro), a rede municipal de ensino de Sapucaia do Sul adota projeto inovador no Brasil. É o “Fast Heroes 192”, iniciativa internacional que tem as crianças como aliadas para a identificação dos primeiros sintomas da doença e como proceder de forma ágil e assertiva para salvar vidas. A proposta é inserir o assunto na grade curricular dos alunos do ensino fundamental. Dessa forma, o tema será abordado em sala anualmente, durante cinco semanas consecutivas, com uma aula por semana, de modo que a temática permaneça por mais tempo em discussão no ambiente escolar.

Antes de chegar aos estudantes, 180 educadores de 31 escolas municipais estão sendo capacitados para a missão. O projeto, encabeçado pela Fundação Hospitalar Getúlio Vargas, através da Linha de Cuidado do AVC e Instituto de Ensino e Pesquisa, é executado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Iniciativa Angels, que atua internacionalmente para redução das mortes pela doença.

Até o final deste ano, aproximadamente 5 mil crianças de Sapucaia do Sul serão instruídas por este projeto pedagógico, que foi concebido pelo Departamento de Educação e Política Social da Universidade da Macedônia, na Grécia. Aprender a reconhecer e pedir atendimento de urgência é o objetivo principal, uma vez que a rapidez no socorro às vítimas do AVC aumenta as chances de evitar sequelas irreversíveis.

A doença, atualmente, é a principal causa de morte e incapacidade no Brasil, sendo que mais de 40% das pessoas que apresentam sintomas de AVC não procuram tratamento adequado, que deve ser aplicado em até 4 horas e 30 minutos após o início dos sintomas. Em Sapucaia do Sul, o Hospital Municipal Getúlio Vargas apresenta números animadores nesse sentido. Em dois anos, reduziu a morte por AVC de 14,2% para 6,1%, sendo a instituição 100% SUS com a menor taxa de mortalidade no Estado.

Neste cenário, o projeto “Fast Heroes” vem ao encontro de um serviço público moderno, aliando o trabalho eficaz na área da saúde com a pedagogia educacional. Assim, a receita só pode dar certo, uma vez que, além de educar, vai formar cidadãos para a preservação da vida, sua e dos outros.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895