Quinta da Estância é lar de Pato Picasso
capa

Quinta da Estância é lar de Pato Picasso

Por

publicidade

A Quinta da Estância, maior fazenda de turismo rural e pedagógico do Brasil, promove ações que visam conscientizar a população sobre a importância da preservação do meio ambiente. A fazenda ainda é lar de centenas de animais em situação de risco. O pato-do-mato (Cairina moschata), também conhecido como Pato Picasso, é um deles. O pato-do-mato é encontrado do México à Argentina e no norte do Uruguai, estando presente em todo o território brasileiro.
No Rio Grande do Sul, tem sido localizado ultimamente em trechos com ambientes ribeirinhos bem preservados dos rios Jacuí e Ibicuí. Os habitats preferenciais são as matas parcialmente alagadas e com banhados ou lagoas. O Pato Picasso tolera certo grau de perturbação no ambiente, aparecendo em áreas perto de cidades. Vive em pequenos bandos que contêm um macho e várias fêmeas, ou seja, são poligâmicos.
Essas aves pernoitam em galhos e costumam voar baixo. Alimentam-se de sementes, grama, folhas de plantas aquáticas, frutos e raízes, incluindo também em sua dieta insetos como besouros, gafanhotos, libélulas e cupins. A alimentação em cativeiro se consiste em verduras, sementes e ração para aves. Os ninhos normalmente estão localizados em cavidades de árvores (meio natural) e no cativeiro aceitam caixas artificiais. A fêmea tem a tarefa de incubar os ovos e cuidar dos filhotes. Põe de 8 a 20 ovos no período de agosto a fevereiro e a incubação demora 30 dias a uma temperatura de 38 graus.
A visitação à Quinta da Estância proporciona momentos memoráveis de contato com a natureza. Além de conhecer o pato-do-mato, outros animais podem ser vistos como o bugio-ruivo, o tucanuçu e outros. Para mais informações acesse o site www.quintadaestancia.com.br.