A face do mal
capa

A face do mal

“Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal” mostra a faceta humana do serial killer

Por
Chico Izidro

Lily Collins e Zac Efron vivem a jovem mãe e o psicopata

publicidade

Theodore Robert Bundy foi um dos mais frios e sádicos serial killers da história dos Estados Unidos. Em seu currículo de morte estão listadas cerca de 30 vítimas, todas mulheres, mas o número evidentemente é muito maior – até hoje muitos corpos não foram encontrados ou vítimas reconhecidas.

Em “Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal”, direção de Joe Berlinger, e disponível no Netflix, é mostrada a vida deste assassino, mas de uma forma diferente. Ao contrário de outros filmes sobre assassinos, onde são mostrados os crimes, neste existe uma outra visão, de mostrar o homem comum. Sim, Ted Bundy, interpretado com vigor por Zac Efron, aliás, muito bem caracterizado, era um homem bonito, charmoso, elegante e carismático – por isso conseguia ludibriar as suas vítimas, que eram enganadas facilmente por ele.

A obra foca muito no relacionamento de Ted com a namorada Elizabeth Kendall ou Liz, interpretada por Lily Collins, a filha do músico Phil Collins. Ela era mãe solteira e teve um namoro por anos com o serial killer, sem imaginar quem ele realmente era. Até mesmo depois de preso, Liz teve dúvidas quanto a culpabilidade do amado.

O filme deixa, então, os assassinatos em segundo plano. Focando mais no homem, estudante de direito e a jovem mãe – que aliás é tema de um documentário disponível na Amazon Prime Video (Ted Bundy – Falling for a Killer). Os dois são obras importantes para mostrar a face do mal e como ela pode ser enganadora. Ah, Ted Bundy foi condenado à morte por suas dezenas de crimes e executado na cadeira elétrica em janeiro de 1989.  

Leia demais posts do blog