Branca de Neve moderna
capa

Branca de Neve moderna

Fábula dos Irmãos Grimm ganha versão moderna, um misto de inocência e sexualidade

Por
Chico Izidro

Lou de Laâge está explêndida como a Branca de Neve moderna

publicidade

"Branca Como a Neve" (Blanche Comme Neige), direção de Anne Fontaine, sim, tem muito a ver com a fábula dos Irmãos Grimn sobre a pobre mocinha cuja madrasta tenta matá-la, e ela é acolhida por anões na floresta. A história, aqui no entanto, se passa nos dias atuais, e segue a jovem e bela Claire (Lou de Laâge), que perdeu a mãe em um acidente. O pai administrava um hotel e casou de novo, com Maud (Isabelle Huppert). Só que ele morre também, a deixando nas mãos da madrasta.

Tudo vai bem até o dia em que Maud descobre que seu amante se apaixonou por Claire. Assim como a rainha má dos contos de fada, Maud tentará se livrar da garota. Assim contrata um matador para sequestrar e matar Claire - só que na floresta, ela é salva por um homem, que a leva para sua casa.

Quando a heroína acorda, descobre que seu salvador mora com um irmão gêmeo e mais um outro homem. E todos vão caindo de amores por Claire. No pequeno vilarejo no meio das montanhas, aparecem outros homens - um veterinário, um padre, um livreiro e seu filho. E todos vão se apaixonando por ela. Sete homens que representam os sete anões do famoso conto. O filme é uma comédia, e até os momentos sombrios, onde a rainha má ou Maud tenta matar Claire são divertidos. Como na cena da maçã envenenada - quem paga o pato é um esquilo.

Lou de Laâge está explêndida como a Branca de Neve moderna, um misto de inocência e sexualidade. Isabelle Huppert aparece pouco, mas quando surge rouba a cena, com a maldade cravada nos olhos.

Leia demais posts do blog