capa

Eficiente e contundente

"Atentado ao Hotel Taj Mahal" (Hotel Mumbai), com direção de Anthony Maras, é baseado em fatos, trazendo para as telas a história de um ataque terrorista coordenado acontecido na capital financeira e maior cidade da Índia, Mumbai.

Por
Chico Izidro

publicidade

"Atentado ao Hotel Taj Mahal" (Hotel Mumbai)

"Atentado ao Hotel Taj Mahal" (Hotel Mumbai), com direção de Anthony Maras, é baseado em fatos, trazendo para as telas a história de um ataque terrorista coordenado acontecido na capital financeira e maior cidade da Índia, Mumbai. O incidente ocorreu exatamente entre os dias 26 e 29 de novembro de 2008, na maior e mais importante cidade da Índia, que viveu ali o seu “11 de setembro de 2001”. Dez atentados terroristas sincronizados atingiram a capital financeira e, além da destruição de lugares icônicos e a promoção do terror, deixaram um rastro de sangue com mais de 190 mortos e outros 300 feridos. A mesma história já havia sido contada no filme "The Mumbai Siege 4 Days of "(2017), com direção do australiano Lliam Worthington.

"Atentado" mostra os terroristas islâmicos chegando à cidade de barco e atacando pontos estratégicos de Mumbai, sob o comando de uma figura que fica escondida, o Irmão Touro. Os terroristas atacam numa estação ferroviária, numa cafeteria popular com turistas e depois o famoso Hotel Taj Mahal, repleto de turistas, muito ocidentais, ou seja, infiéis para os fanáticos religiosos. A trama foca em três núcleos, um com o funcionário indiano Arjun (Dev Patel, de Quem Quer Ser Um Milionário), o outro com a família do turista David (Armie Hammer, de Me Chame pelo Seu Nome) e Zahra (Nazanin Boniadi), do filho pequeno deles e da babá Sally (Tilda Cobham-Hervey) e o terceiro os terroristas, que agem sob o comando de uma figura que fica escondida, o Irmão Touro, que invoca Alá para que seus subordinados cumpram à risca a missão.


O diretor não poupa imagens violentas, mostrando os terroristas agindo de maneira bruta e cruel em seus assassinatos. Agindo com fanatismo, acreditam que matar não será punível, pois eles agem em nome de Alá - que os perdoará e os receberá no paraíso graças ao feito. Os atores que interpretam os terroristas é de um realismo exarcebante - até passamos a acreditar que eles são realmente fanáticos religiosos.
Do lado das vítimas, o suspense impera com o casal formado por Armie Hammer e Nazanin Boniadi, que pelos corredores do hotel tenta encontrar a babá, que tem em suas mãos o seu filho recém-nascido. É muito nervosismo e angústia do lado de lá e de cá da tela.  “Atentado ao Hotel Taj Mahal” é desenvolvido de maneira eficiente e contundente, mostrando ao público o lado dilacerante e irracional de um ataque terrorista.