capa

Forte e maternal

Em "O FIlho das Trevas", os elementos conhecidos do Homem de Aço estão ali no personagem do garoto Jackson Dunn, que interpreta o garoto Brandon

Por
Chico Izidro

publicidade



Em um universo paralelo, o que aconteceria se o Super-Homem não fosse do bem e sim do lado do mal? Este exercício de imaginação é feito em "Brightburn: O Filho das Trevas" (Brightburn), direção de David Yarovesky. Todos os elementos conhecidos do homem de aço estão ali no personagem do garoto Jackson Dunn, que interpreta o garoto Brandon. Ele vem do espaço e cai na fazenda de um casal de fazendeiros no Kansas, formado por Tori Breyer (Elizabeth Banks) e Kyle Breyer (David Denman), que há anos desejavam ter um filho.

O garoto é criado pelos dois, mas quando completa 12 anos, o jovem Brandon começa a descobrir que possui super-poderes. O problema que o garoto nota que eles não são para fazer boas ações, mas sim com o objetivo de dominar o mundo, e se possível trazer o caos à Terra. Então dá para dizer que Brandon é uma mistura de Super-Homem com o encapetado Damien. Ele começa praticando assassinatos enquanto vai conhecendo mais os seus poderes. Aliás, o sub-título nacional é equivocado, já que o menino não veio das trevas, mas sim do espaço!

"Brightburn: O Filho das Trevas" (Brightburn) é um filme aterrorizante mesmo. Tem suspense, muitas cenas perturbadoras - os assassinatos praticados por Brandon são de uma crueldade e de uma selvageria impactantes. E o personagem de Elizabeth Banks é o melhor do filme. A mãe que não consegue ver maldade no filho, querendo defendê-lo de tudo e de todos, até ver que seu julgamento foi equivocado. Forte.