Intenso e fragmentado
capa

Intenso e fragmentado

'Vox Lux' tem produção de Natalie Portman e Jude Law

Por
Marcos Santuario

Produção aponta para o mundo da fama, a criação de mitos e também os diversos tipos de violências contemporâneas.

publicidade

A voz do ator Willem Dafoe, que recentemente concorreu ao Oscar por seu papel como Van Gogh em "No Portal da Eternidade", dá o tom de suspense com o qual começa "Vox Lux", que tem produção de Natalie Portman e Jude Law, que também atuam na trama. Com direção do jovem norte-americano Bradley Cooper (de 30 anos de idade), o filme vem com estrelas capazes de atrair o público. Mas o suspense inicial vai dando lugar a outras sensações. O filme que começa retratando um momento de violência em uma escola, envolvendo´violência, builing e adolescentes, toma outros rumos. Mas a imponente voz de Dafoe vai acompanhar o desfecho da trama até o final.

Com diferentes intensidades, a personagem principal, que começa sendo vítima, até tornar-se estrela pop (talvez vítima da fama também...), busca ser um retrato da contemporaneidade do culto à personalidade e da criação de mitos. Retrato também da fragmentação narrativa, na escolha dos ritmos e dos focos da estória.

A jovem que sobrevive ao ataque violento em sua escola é descoberta com voz e talento para a música. A adolescente Celeste, como se chama,  sobrevive à tragédia e ganha fama ao cantar em cerimônia de cremação. Com o surgimento de um produtor musical em sua vida (Jude Law), o que era tragédia se torna o mote para transformar uma vida. É onde a estória avança mais de uma década e a então balzaquiana estrela pop (já na pele de Natalie Portman) se apresenta para reconquistar seu espaço no universo pop, depois de um escândalo em sua vida.

Relacionamentos, encontros e desencontros. As pressões sociais, midiáticas e familiares. As transformações humanas. Tudo está ali., Fragmentado e, em alguns momentos, até um pouco esquizofrenicamente exposto. Um filme para se entregar, ou ficar na superfície da trama. Não é linear em sua narrativa. Mas não chega a ter a complexidade de obras incompreensíveis.

Natalie vive os trejeitos de estrela pop, com os conflitos que imaginamos viverem. Mecla de Madonna com Lady Gaga. Mas sem a intensidade de ambas.E tem até música, da cantora e compositora australiana Sia.

 

 

 

Protagonizado por Natalie Portman, a trama mostra trajetória de um cantora pop reconhecida mundialmente. A adolescente Celeste sobrevive a uma tragédia e ganha fama ao cantar em cerimônia de cremação.

Em 2017, já adulta ela tenta se recuperar de um escândalo em sua carreira. Em tour com seu sexto álbum, ela tenta driblar suas lutas pessoais para voltar a ser querida por seu público.

Acompanhe mais lançamentos do cinema

O elenco conta com a presença de Jude Law, que interpreta um renomado agente de talentos.