Muito além do comum

Muito além do comum

publicidade


apaterson


"Paterson", de Jim Jarmusch, está longe de ser um filme fácil de ser assistido. O público comum vai

 considerá-lo tedioso, afinal se analisarmos bem, nada acontece em suas quase duas horas de duração.

 Enfim, um puro clima de cinema alternativo.  No longa, acompanhamos uma semana na vida de Paterson (Adam Driver, de "Star Wars: O Despertar da Força"), um motorista de ônibus que gosta de escrever poemas. E ele vive na pequena cidade de Paterson, em Nova Jérsei. Basicamente vemos o motorista dirigindo seu ônibus, enquanto escuta a conversa dos passageiros, e nas horas vagas escreve seus poemas. Também vemos o convívio com sua bela esposa, Laura (Golshifteh Farahani), que para ajudar no orçamento da casa, cozinha deliciosos bolinhos - cookies, mas também é pintora e sonha em ser cantora folk.


Paterson é um personagem calmo. Leitor voraz, escreve seus poemas num caderninho que carrega

para todos os lados. Mas ele está satisfeito com seu destino, e não pensa em nada mais a não ser

dirigir seu ônibus e após o serviço, levar o cachorro buldogue para passear - depois passa sempre num

pub, que é outro achado, com seus frequentadores,mais estranhos um do que o outro. A paixão de

Paterson pela poesia é tão impar que, a certo ponto, uma garotinha também poeta, olha para ele, e

diz: "Estranho, um motorista de ônibus que gosta de Emily Dickinson".


Jarmusch, enfim, consegue captar com toda a sensibilidade, muito mais do que a vida de um

motorista de ônibus. E isto que torna extraordinário neste filme, de um homem comum, com uma vida

comum, mas mostrando muito mais do que isso. Um belo retrato do cotidiano.

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895