Espetáculo em homenagem aos 100 anos de Clarice Lispector entra em cena online

Espetáculo em homenagem aos 100 anos de Clarice Lispector entra em cena online

"Minhas Queridas" fará temporada no YouTube a partir deste final de semana

Lou Cardoso

Marilene Grama e Simone Evaristo estrelam "Minhas Queridas"

publicidade

"Minhas Queridas" é um espetáculo em homenagem aos 100 anos do nascimento da escritora Clarice Lispector, realizado pela Cia. de Teatro Diversão&Arte, que entra em cena, agora, em formato online. A nova temporada será de 19 a 28 de março, sempre nas sextas, às 20h, e aos sábados e domingos, às 19h, no canal do YouTube

"Minhas Queridas" reflete o período em que Clarice Lispector, dos 24 aos 40 anos, viveu no exterior, ao lado do marido, o embaixador Maury Gurgel Valente. Foram 15 anos de correspondência com as irmãs, que moravam no Brasil. Nas cartas, a genial escritora expõe as lembranças e ressentimentos em relação aos pais e as consequências da emigração forçada, durante a guerra na Ucrânia; as angústias em relação à sua produção literária, a maternidade e o papel que representava como "mulher de diplomata".

Na peça, Marilene Grama e Simone Evaristo interpretam duas atrizes que estão montando um espetáculo e revelam o conteúdo da correspondência de Clarice, durante esse período da vida da escritora. 

Para a diretora Stella Tobar, transmitir uma narrativa tão intimista como "Minhas Queridas", em formato online, é um desafio. "Estamos aprendendo como o teatro pode dialogar com essa plataforma e a linguagem audiovisual. A filmagem prioriza planos mais próximos e conduz o olhar do espectador para que a beleza contida nas cartas seja transmitida com a mesma emoção e profundidade", disse. 

"Entrar em contato com a intimidade de Clarice Lispector por meio de cartas tão pessoais, as quais ela jamais imaginou que chegariam ao público é um deleite e uma responsabilidade ao mesmo tempo, quando a proposta é adaptá-las ao teatro”, afirmou a diretora. 

“O período em que as cartas às irmãs foram escritas tem dores e delícias, e acho que o espetáculo opta por mostrar preferencialmente o momento difícil de uma escritora em adaptação à vida fora do país e sua dificuldade em escrever em meio às circunstâncias. Esse recorte foi uma escolha minha, o que mais me tocou na biografia dela nesse período", completou.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895