Diogo Nogueira: “Não abro mão de comer um bom churrasco”
capa

Diogo Nogueira: “Não abro mão de comer um bom churrasco”

Cantor e compositor faz show em Porto Alegre nesta sexta

Por
Luiz Gonzaga Lopes

Diogo Nogueira volta ao palco do Araújo Vianna onde gravou o disco "Ao Vivo em Porto Alegre"


publicidade

O mais gaúcho dos sambistas cariocas, Diogo Nogueira faz o show de lançamento do de seu novo álbum “Ao Vivo em Porto Alegre” no Auditório Araújo Vianna (avenida Osvaldo Aranha, 685), nesta sexta-feira, às 21h, mesmo emblemático palco no qual gravou o CD, em apresentação lotada e datada de agosto de 2019, com repertório recheado de músicas em versões inéditas na sua voz e de alguns lançamentos recentes. No show, Diogo mostrará o repertório do disco e seus maiores sucessos. No sábado, às 21h, o artista faz o show de encerramento do 19º Circuito Verão SESC de Esportes 2020, na Praia dos Molhes, em Torres, junto à Sociedade Amigos da Praia de Torres.

Este registro do CD e o show em Porto Alegre têm um significado especial para Diogo por causa de sua relação afetiva e histórica com a cidade. A sua irmã ainda mora na capital gaúcha e foi nesta cidade em que ele escolheu viver para tentar a carreira de jogador de futebol para jogar no Cruzeiro. Quando ia assinar o primeiro contrato profissional, teve lesão no joelho e ele largou o futebol e assumiu a música, que já estava no sangue, filho de peixe grande que é, o imensurável João Nogueira. 

Com 12 anos de carreira, Diogo se tornou um dos principais nomes do samba e da MPB nacional. Cantor, compositor, instrumentista, apresentador, estreou como ator em 2015 no musical “SamBRA”, além de apresentador do programa “Samba na Gamboa”, da TV Brasil e também exibido pela TV Cultura. 

O disco que será lançado no Rio Grande do Sul foi gerado do show “Tá Faltando o Quê?” – apresentado em várias cidades brasileiras, muitas vezes para até 100 mil pessoas em praça pública – e traz sucessos como "Pé na Areia", que tem mais de 50 milhões de visualizações no YouTube, e seus mais recentes lançamentos “Tá Faltando o Quê” e “Coisa Boa”.

Nesta entrevista ao Correio do Povo, Diogo fala da volta a Porto Alegre, cidade que ama, e do show em Torres, além da relação com o Sul e novos projetos da carreira.  

Correio do Povo - Diogo, o que significa para ti em especial, com uma relação tão próxima a Porto Alegre e os gaúchos, lançar este novo álbum no Araújo Vianna, local tão emblemático onde foi gravado, numa noite de agosto de 2019, com um clima tão especial e mágico?
Diogo Nogueira - É muito bom poder homenagear essa terra que me acolheu tão bem e voltar com esse show de lançamento do CD que foi gravado ao vivo no Auditório Araújo Vianna numa noite histórica para mim, com casa lotada e todo mundo cantando junto. Só tenho que agradecer!

CP - Na outra noite, fazes um show fechando um Circuito de Verão do Sesc na praia de Torres. O Sesc é praticamente uma secretaria de Cultura no Rio Grande do Sul. O que prometes para o show na praia, que não é tônica no RS, mas terá caipirinha, água de coco, cervejinha e água do mar?
Diogo - Estas iniciativas do Sesc são maravilhosas porque proporciona acesso à diversão e cultura para muita gente. Já fiz vários shows na praia e adoro fazer em local aberto, ao ar livre, esse tipo de show é mágico. Recentemente fiz um no último Réveillon no palco principal de Copacabana e foi maravilhoso. Espero que em Torres, onde canto pela primeira vez, a gente faça uma festa assim, com todo mundo cantando em um coro só.

CP - Quais hábitos do tempo em que moraste no RS que ainda tu tens mantido?  E os contatos com os amigos gaúchos?
Diogo - Tenho grandes amigos em Porto Alegre. Minha irmã Valéria mora aqui nesta cidade. Uma coisa que eu não abro mão toda vez que venho a Porto Alegre é comer um bom e tradicional churrasco. 

CP - Nestes 12 anos de carreira, o que há de bom para lembrar e celebrar?
Diogo - Comemoro estes 12 anos de carreira, com a mesma disposição e alegria do início de tudo. Sou filho de um sambista consagrado, trago esse legado comigo, essa responsabilidade com a história do samba e da minha família, mas também vivo o meu tempo e busco um caminho que retrate a minha verdade. Desde o início sempre quis cantar aquilo que me emocionava, aquilo que eu gostasse e assim fui construindo uma trajetória que hoje conta alguns CDs, DVDs, projetos especiais e até 2 Grammys Latinos tive a oportunidade de ganhar. É um trabalho que me orgulha bastante por poder levar a música brasileira por todos os lugares onde passo, inclusive no exterior.

CP - Algum projeto novo na música, na TV ou em parceria com outros músicos?
Diogo - Além do lançamento desse álbum gravado em Porto Alegre, que vai estar em todas as plataformas digitais e também será lançado em CD físico, estou trabalhando em diversos projetos especiais e em breve tereis um programa novo no meu canal de YouTube. Também está nos meus planos um novo DVD, que será gravado em julho, no Rio de Janeiro, o “Samba de Rua”, com músicas inéditas e diversos sucessos que saíram das tradicionais rodas de samba. Estou trabalhando também num show novo, diferente de tudo que já fiz, que é o “Eu, violões e canções”, com dois violonistas, onde canto um repertório selecionado entre pérolas do cancioneiro popular brasileiro.


CP – Por favor, deixe uma mensagem convidando a galera gaúcha para te curtir em Porto Alegre ou em Torres, que é gratuito, ao ar livre.
Diogo - Temos um encontro marcado para gente fazer uma grande celebração ao samba e matar a saudade da música brasileira. Espero todo mundo lá para a gente fazer uma grande festa e cantarmos juntos!