Julieta Venegas: "A música tem a possibilidade de nos conectar de outra maneira"
capa

Julieta Venegas: "A música tem a possibilidade de nos conectar de outra maneira"

Por

publicidade

Oxalá, minhas canções sejam um escape para tudo isto que está acontecendo no mundo” | Foto: Bianca Tatamyia / Divulgação / CP

Oxalá, minhas canções sejam um escape para tudo isto que está acontecendo no mundo” | Foto: Bianca Tatamyia / Divulgação / CP

Aos 46 anos de idade e com pouco mais de 20 anos de carreira profissional, a cantora e multi-instrumentista mexicana Julieta Venegas é o típico exemplo de alguém que se reinventa a cada disco e a cada turnê, conseguindo ser pop sem ser pueril e ser profunda sem ser maçante ou erudita. A nova reinvenção de Julieta atende pelo nome de "Parte Mía Tour" e mostra a artista trazendo as músicas do disco “Algo Sucede”, de 2015, em um formato no qual, ao lado de Matías Saavedra e Sergio Silva, todos tocam os instrumentos acústicos, elétricos e sintetizados, num formato que permite o espaço para a improvisação e arranjos mais soltos. A turnê brasileira começou na quarta, por Curitiba, passa pelo Rio de Janeiro e São Paulo,  desembocando no domingo, às 20h, em Porto Alegre, no Audiório Araújo Vianna (Osvaldo Aranha, 685). O show de abertura será do músico gaúcho Thiago Ramil (19h). A realização é de Opus Promoções e Rompecabezas, com ingressos entre R$ 140 e R$ 220 pelo site , pelo telefone 4003-1212, na bilheteria do Teatro Bourbon Country ou no local, na data do show, a partir das 14h.

Com mais de oito milhões de discos vendidos, um prêmio Grammy, sete prêmios Grammy Latino, dois Billboard Latino Music Awards e oito MTV Awards, Julieta Venegas saiu da sua comodidade ao propor este formato de trio para este giro pelo mundo, voltando-se para a essência das canções do novo disco, como “Algo Sucede”, “Parte Mía”, “Explosión” e “Se Explicará”, esta última feita para a sua filha e com mensagens positivas diante do caos que está o mundo:

“Todo se explicará, un día, espera y lo entenderás
Esa es la manera como la vida siempre te sorprenderá
Todo se explicará, un día, espera y lo entenderás
Esa es la manera como la vida siempre te sorprenderá”


Julieta admite que teve que reaprender suas canções para fazer este show. No repertório, também estarão alguns clássicos de sua carreira como “Sí”, “Limón y Sal”, “Otra Cosa” e “Eres Para Mí”. Nesta entrevista ao Diálogos, a mexicana fala da turnê, da força dos temas de suas canções, do ativismo político e ambiental, dos brasileiros que está ouvindo, parceiros e da saudade do público gaúcho.

Correio do Povo: Qual o significado desta turnê "Parte Mía" para tua carreira?
Julieta: É uma mudança do que fazíamos até então ao vivo, pois eu sempre tinha um mesmo formato de banda. Gosto muito desta possibilidade de sair da comodidade de uma banda completa, fazendo algo um pouco menor, com um trio. É um show em que há mais espaço para improvisar, para ser mais livre. Estamos desprotegidos. Tivemos que reaprender o sentido de algumas da canções. É diferente do show que já veio a Porto Alegre. Este tipo de show é importante apresentar no Brasil, pois sinto que as pessoas estão mais sintonizadas com a música. Estou muito feliz de estar voltando ao Brasil e principalmente a Porto Alegre.

CP: Os temas de tuas canções são importantes para entender o mundo atual. Algumas músicas são um bálsamo para a tristeza ou para entender o que se passa, como é o caso de "Se Explicará". Fale-nos um pouco da mensagem das tuas canções.
Julieta:  Creio que estamos todos em crise em crise. O mundo está passando por um momento difícil. O México está em crise política, social e de violência há alguns anos. Há toda uma geração de gente que está desaparecendo. O Brasil também. O mundo ficou muito revolto. Creio que a América Latina está muito caótica. Oxalá as minhas canções sejam um escape para tudo isto que está acontecendo. Quero com as minhas músicas comunicar outras emoções para as pessoas que estão machucadas pelo dia a dia e por todos os problemas. A música tem a possibilidade de nos conectar de outra maneira. É lindo saber que uma canção pode dar palavras para uma tristeza que não encontra palavras. Esta canção “Se Explicará” eu escrevi para a minha filha sobre como a vida se acomoda, como as coisas às vezes parecem difíceis nos momentos decisivos e não são tão complicadas. Isto se passa com as crianças e adolescentes e também com os adultos.

CP: Queria que você falasse um pouco sobre seu ativismo ambiental e político, como é o caso deste concerto gratuito que farás no Chile pela campanha El Medio Ambiente Nos Une.
Julieta:  Não é uma iniciativa minha. Me convidaram a fazer parte. Foi planejada por um shopping center, o MallPlaza. É uma boa iniciativa, pois em todo o mundo estes locais como shoppings, centros comerciais, lojas precisariam ter mais compromisso e consciência com o meio ambiente e outras iniciativas, pois este assunto não pode ficar restrito somente a ONGs e grupos que são dedicados à causa.

CP: Você divulgou esta semana no Twitter a  "Rádio de tua Cabeça", no Spotify. O que estás escutando agora?
Julieta:  O que é lindo atualmente é que o acesso por meio das plataformas digitais facilita a multiplicidade. Dos brasileiros, estou ouvindo a Mallu Magalhães, a Banda Mais Bonita da Cidade e Luísa Maita. Gosto muito de compositores franceses. Gosto muito de uma cantora americana chamada Angelica Garcia. Escuto sempre compositores. Meus ouvidos estão sempre prontos para os clássicos brasileiros. Ouço bastante Tom Zé, Caetano Veloso, Chico Buarque. Gosto muito de uma cantante espanhola de flamenco, Rosalía, que está nesta seleção do Spotify. Também ouço muito a cabo-verdiana Mayra Andrade.

CP: Queria saber das parcerias atuais com músicos brasileiros. Me lembro de algumas como Marisa Monte, Lenine, Otto, Fernanda Takai?
Julieta: Para os shows do Rio e São Paulo, eu farei uma parceria com o Criolo. No show em Porto Alegre, não terei nenhum convidado. Estou muito feliz com este momento. Sou fã do Criolo. Nos conhecemos no México durante a entrega de uma premiação de cinema. Sempre falávamos de fazer algo junto. Coincidiu a possibilidade e não podíamos perder esta oportunidade.

CP: Sobre o público gaúcho, tu tens que tipo de lembrança?
Julieta: Mando um beijo para toda a gente gaúcha, para todos os brasileiros do Sul. Faz muito tempo que não tocávamos por aí. A última vez há uns três ou quatro anos foi um show de uma grande energia, contagiante. Muito feliz de voltar a visitá-los nesta turnê de "Parte Mía". Nos vemos por lá.

Em áudio, Julieta Venegas convida o público para seu show. Confira.