(De)coração
capa

(De)coração

Por
Alina Souza

Feira Estadual de Economia Popular Solidária, em Porto Alegre, com artesanato natalino.

publicidade

Enfrentamos a enxurrada das horas, dos dias, dos meses e, de súbito, o Natal acena esperançoso na próxima esquina. Após o susto inicial, recuperamos a calma, retribuímos o aceno. Afinal, missão cumprida, agora é o instante para decorarmos os lares, comprarmos simbólicas lembranças àqueles que fizeram nosso ano mais feliz. Ao prepararmos a casa, revigoramos a alma. As guirlandas nas portas, as cascatas de luzes nas sacadas e janelas, o pinheiro carregado de enfeites e significados. O resgate de uma ternura quase ofuscada pelas pedras e revezes ao longo do caminho. Singeleza presente nas mãos habilidosas das artesãs que expuseram seus trabalhos na Feira Estadual de Economia Solidária, em Porto Alegre. Caminhei entre as bancas e senti o aconchego tal qual o do olhar tenro de uma mãe. Pensei na paciência e concentração necessárias para transformar as linhas, tecidos, objetos reciclados em adornos expressivos, alinhavados com todo carinho e arrematados com profundo amor. Fora das esteiras das indústrias, papais noéis feitos de coração. 

Texto e fotos: Alina Souza