Manhã
capa

Manhã

Por
Alina Souza

Nascer do sol na praia de Mariluz, em Imbé.

publicidade

Quebrar a rotina. Interromper a sequência de passos previsíveis, deixar o infinito nos surpreender e a luz nos despertar. Mesmo que a noite tenha sido chuvosa e o sol custe a superar a instabilidade. Ainda que oculto, sua força se reflete nos tons aquarelados das nuvens. Tímido ou radiante, ele estará sempre presente. Não importa o temperamento do tempo. Tal qual a esperança para um otimista. Mudam os cenários, surgem os entraves, mas permanece a certeza que, de alguma forma, o céu cintilará. E tudo tem um instante certo para acontecer. É preciso estar disposto, lavar o rosto, engolir o sono. Aproximar-se, tocar as águas, sentir plenitude. De longe, os desafios parecem mais difíceis. As oportunidades só aparecem quando vamos atrás delas. E sorrimos. O sol se esconde de propósito, justo para testar a persistência. Perspicácia. Quem espera é saudado por uma beleza súbita, composta e desfeita em poucos minutos. Alguns dirão que foi uma questão de sorte. Responderemos que, se ela existe, veio atrasada. Antes foi necessário acreditar nas possibilidades, inovar, buscar a diferença.

(Texto e fotos: Alina Souza)