Inter: não deu!
capa

Inter: não deu!

O Furacão vence novamente e leva o caneco

publicidade

Inter perdeu também o segundo jogo da final da Copa do Brasil.
Levou 2 a 1.
O Furacão levou o caneco pois havia vencido em Curitiba por 1 a 0. 
Noite de tremenda decepção num Beira-Rio lotado.
A bola não havia rolado quando veio a primeira notícia ruim: D’Alessandro estava fora do jogo. Sem ele, Odair optou pelo atacante Wellington Silva. 
Quanta diferença!
Sem o principal jogador, a referência técnica, o homem que retém a bola, cadencia o jogo, e com um velocista, o Inter apressou demasiadamente a partida. Guerrero foi flagrado pedindo calma. 
Uma calma que só D’Alessandro sabe dar ao time nos momentos de maior tensão. 
Num contra-ataque levou o gol.
Empatou ainda no primeiro tempo.
Insistiu, rondou a área, mas parou na estratégia de um rival que sabia ser inferior tecnicamente e das suas limitações. 
Nos acréscimos, levou o segundo gol.
Mesmo nervoso, o Inter foi melhor no primeiro tempo.
No segundo, decepcionou.
Patrick deu lugar para Sobis, Bruno para Nonato e Wellington Silva para Parede.
O time piorou a cada mudança. 
Vendo isto o Furacão passou a atacar com mais perigo.
Assim chegou ao segundo gol. Beira-Rio teve que assistir o festerê do inimigo.
O Furacão marcou muito em seu campo de jogo e gastou o maior tempo possível. 
Faz parte do jogo.
Escrevi tratar-se de um inimigo que conhecia suas virtudes e defeitos.
Não deu. 
Vida que segue. 
Domingo já tem Brasileiro.
Doloroso
O vice-campeonato é doloroso mas não há tempo de chorar o leite derramado.
O Inter precisa se manter disputando todos os títulos possíveis, estar na Libertadores de 2020 e começar a Copa do Brasil nas oitavas de final. No domingo já tem Brasileiro.
É contra a Chapecoense no Beira-Rio.
Vencendo, se manterá no G-4. 
Receitas 
O vice-campeonato deu ao Inter um prêmio de R$ 22 milhões.
No acumulado, o clube levou R$ 34 milhões.
Na próxima segunda-feira o Conselho Deliberativo estará reunido para conhecer o último balancete.
A direção apostava que em agosto o déficit estaria entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões. O ano pode terminar superavitário.
Furacão
O Inter não conseguiu levantar a taça diante de um Athletico-PR que passou como um verdadeiro Furacão pela Copa do Brasil.
Sua primeira façanha foi eliminar o Flamengo num Maracanã lotado.
Depois igualou um placar adverso de 2 a 0 diante do Grêmio.
Nestes dois jogos passou nos pênaltis.
Parabéns aos paranaenses.
Reforços

Ficou evidente, outra vez, a necessidade de buscar um jogador que faça a função de D’Alessandro quando este não puder jogar.
O Inter é dependente de D’Ale.
Pontualmente o time precisa ainda de dois laterais.
Guerrero muito nervoso.
Show só da torcida, com recorde de público: 50. 355.