O pênalti e o azar
patrocinado por

O pênalti e o azar

Carlos Corrêa

publicidade

Carlos Corrêa / Interino

Não era nem preciso o VAR. Para os dois gols anulados por impedimento, a imagem era clara. Tanto Yuri Alberto no primeiro tempo, como Edenilson naqueles últimos minutos malucos, estavam em condição ilegal. Agora, o pênalti de Ramiro, marcado pela arbitragem e depois revertido, esse vai ser lembrado eternamente. Aliás, o Inter tem dado, digamos, azar com a arbitragem nos últimos jogos. Contra o Athletico-PR, um lance duvidoso nos últimos minutos em que não foi dado pênalti. Contra o Sport, uma bola que ninguém sabe se saiu virou gol do adversário. Contra o Vasco, um pênalti de Cuesta para lá de suspeito. Contra o Flamengo a contestada expulsão de Rodinei. Por fim, ontem, contra o Corinthians, o pênalti de Ramiro foi revertido.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895