Quero VAR no Telão
capa

Quero VAR no Telão

Enfim, que paga pelo show, quem sustenta o futebol, poderá saber o que está acontecendo.

publicidade

O texto que segue foi publicado no blogue em 13 de junho.
Já se foram mais de dois meses.
Nesta segunda-feira a CBF anunciou a possibilidade do telespectador assistir a mesma imagem do árbitro no momento da revisão de um lance. 
Isto acontecerá a partir da 20ª rodada.
"O público terá total ciência do motivo pelo qual o árbitro está tomando tal decisão. 
O público estará vendo o que ele está enxergando no seu monitor".
Quem afirma isto é o gaúcho Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Arbitragem.
Segundo o Gaciba, já há conversas com os clubes para que se possa mostrar as imagens da revisão nos telões dos estádios.
Ufa! 
Enfim, que paga pelo show, quem sustenta o futebol, saberá o que está acontecendo. 
O texto de 13 de junho levou o título de QUERO VAR NO TELÃO.

Falei com Leonardo Gaciba, chefe de arbitragem da CBF.
Para entender a validação do primeiro gol do Inter diante do Bahia.
O árbitro Paulo Roberto Alves Júnior validou um gol aparentemente em posição de impedimento de Rodrigo Lindoso.
A validação se deu via VAR.
Quis saber de Gaciba quando o árbitro pode conferir lances de impedimento transformados em gol no monitor. Quando é de interpretação.
No caso do gol de LIndoso “é decisão de fato, não havia porque ver. Não era interpretativo”.
A polêmica foi tanta que Gaciba divulgou as imagens analisadas pela equipe de arbitragem de vídeo mostrando que Lindoso parte atrás da linha defensiva, em posição legal.
A imagem não tirou minha dúvida. Gaciba:
“Nós tomamos a decisão de fazer a divulgação dessas imagens pela credibilidade do projeto.
Não temos autorização para mostrar essas imagens em todos os momentos, mas acho que nesse momento é importante mostrar que o gol foi legal e por que a equipe do árbitro de vídeo chegou a essa conclusão.” 
Em tempo: é balela esta história de imagem tridimensional.
Fui ouvir Romildo Bolzan, presidente do Grêmio, que recentemente falou no Conselho Técnico da CBF de que o protocolo do VAR está errado.
Hoje, um clube precisa da autorização do STJD para liberar imagens e áudio do VAR.
Para Romildo, isto deveria ser automático.
Este colunista vai mais longe.
Ao final de cada partida os dois times deveriam receber todo o conteúdo do VAR.
Romildo é contra a exposição seletiva de imagens.
Eu também.
Contra a redoma em que se coloca o pessoal do VAR. Idem.
Ele quer transparência total.
Acrescento: ou é isto, transparência total, ou o VAR, que veio para ser uma evolução, será uma involução.
Voltaremos aos tempos dos porões do futebol.
Romildo concorda quando digo que os lances mais polêmicos do VAR, como o de quarta-feira, onde o torcedor fica perdido, devam ser mostrados imediatamente no telão do estádio. 
Afinal, quem sustenta o futebol, o torcedor, não pode ficar sem saber aquilo que de fato determinou a decisão do VAR.
Tenho certeza de que Gaciba faria tudo isto se pudesse.
Mas, e há sempre um mas em tudo, a funesta Fifa proíbe.