Um outro Brasil
capa

Um outro Brasil

Por

publicidade

Há um Brasil que não torce pelo Brasil nesta Copa do Mundo.
Há um Brasil que seca impiedosamente o Brasil e que afronta o genial Nelson Rodrigues, autor de A Pátria de Chuteiras.
A pátria deste outro Brasil esteve nas chuteiras da Suíça, Costa Rica e Sérvia e agora calça Bélgica.
É possível presumir que sobre este outro Brasil, Nelson Rodrigues repetiria:
“Os lorpas, os pascácios poderão objetar que se trata de futebol, apenas o futebol. Não é só o futebol. É, sobretudo, o homem brasileiro”.
Ataco aqui de João Batista Freire, professor Livre Docente aposentado da Unicamp, autor de vários livros:
“E, por mais que o futebol arte, inventado pelos brasileiros na primeira metade do século XX, seja consagrado internacionalmente, não é contado como uma conquista cultural de um povo. Sobram detratores que julgam que o êxito do futebol diminui o êxito social.
Poucas produções culturais de nosso povo, ou nenhuma, atingiu o refinamento e o êxito do futebol.
Somos bons em algumas coisas, e uma delas é o futebol, ganhando ou perdendo a Copa.”
Vai Brasil, meu Brasil brasileiro!
Continuamos abastecendo o Brasil e o mercado internacional com nossos jogadores.
Já escrevi que na Europa joga-se o Brasileiro da Série A, na Ásia o da Série B e, por aqui, o Brasileiro da Série C.
Na hora de montar uma Seleção recolhemos nossos jogadores de várias partes do mundo e temos uma Seleção, na verdadeira acepção do termo.
Na hora de montar a sua Seleção para a Copa do Mundo a Espanha vê Messi se bandear para a Argentina; Cristiano Ronaldo para Portugal; Filipe Luís, Marcelo, Casemiro e Philippe Coutinho para o Brasil; Modric viajando para a Croácia; Toni Kroos para a Alemanha...
A Seleção do país é esta, que saiu na primeira fase.