Diário da quarentena (6): televisão
capa

Diário da quarentena (6): televisão

Fox e CNN com sinais trocados

publicidade

      Faço crítica de mídia trancado em casa. O coronavírus me mobiliza. No Brasil, reza a lenda, tudo se carnavaliza. Para quem possa não saber, o carnaval, nos seus bons tempos, era uma festa de inversão: pobre virava rico, plebeu saía de nobre, homem se vestia de mulher. Depois da invenção do camarote VIP já não é mais assim. Cada casta fica no seu quadrado. As inversões, em outros campos, porém, continuam. A CNN, que nos Estados Unidos bate em Donald Trump, estreou aqui como emissora de direita, tendo William Waack como a principal estrela. Na última hora, Daniela Lima, que diziam ser menos alinhada à situação, perdeu o posto num dos principais jornais da nova rede nacional.

      Se a CNN brasileira nega a matriz, a Fox News, conhecida nos Estados Unidos por ser de extrema direita, andou enfurecendo o bolsonarismo ao divulgar que o presidente brasileiro teria testado positivo para o coronavírus. A confusão teria sido gerada pelo inglês fast-food de Eduardo Bolsonaro. CNN de direita, Fox de esquerda? Deve ter alguma coisa no ar brasileiro que desnorteia os estrangeiros. Poderia desnortear também esse vírus maldito que está assustando todo mundo e parece ter vindo para ficar por um bom tempo. A Fox é tão direitista nos Estados Unidos que considera o democrata Bernie Sanders, que na Europa não passaria de um pálido socialdemocrata, comunista.

      Depois do mico com o coronavírus de Bolsonaro, pelo qual recebeu uma banana do presidente, a Fox já pode ser chamada de Fox Fake News? Já a CNN tem um mistério a esclarecer. Todos os que calcularam os seus investimos e possibilidades de retorno para funcionar no Brasil garantem que a conta não fecha. Rubens Menin, controlador da CNN Brasil, bilionário dono da MRV Engenharia, declarou, antes da estreia da sua nova aposta, que tem fé no futuro: Em 2013, claramente, a população foi às ruas e deixou uma mensagem. Muita coisa aconteceu depois de 2013. Sou otimista. Eu vejo a política hoje muito melhor do que no passado. Ainda não é a ideal, estamos evoluindo, vamos melhorar mais". Menin afirma bancar a cara CNN Brasil por simples patriotismo.

      Eu queria tanto ter dinheiro para ser patriota assim. Como não tenho, sigo em linha reta na esperança de que seja mesmo o caminho mais curto entre dois pontos, a minha condição e a minha expectativa. O Brasil não é para coerentes. Se Trump viesse para cá talvez entrasse no PSOL depois de uma súbita crise ideológica. Um apresentador da Fox News especulou que haveria no último filme dos Muppets uma agenda comunista devastadora. O mesmo aconteceria nos filmes “Parasita” e “Coringa”. Por outro lado, a prova, do ponto de vista de comentaristas brasileiros, de que a CNN seria esquerdista apareceu quando um colunista acusou um oponente numa discussão de membro da elite branca privilegiada. 

      Sei que estou misturando coisas. É que CNN de direita, Hollywood de esquerda e confinamento me enlouquecem. A direita sustenta que essa distinção entre esquerda e direita não existe mais. Mas denuncia a ameaça comunista viral. A esquerda persiste? A direita sumiu?