Em meia década, Talleres sai da terceira divisão para eliminar um gigante na Libertadores
capa

Em meia década, Talleres sai da terceira divisão para eliminar um gigante na Libertadores

Talleres alcançou um grande feito no Morumbi

publicidade

Quando foram sorteados os grupos e os confrontos das fases preliminares da Libertadores da América, a expectativa gerada foi de que o São Paulo entraria na chave 1 para formar ao lado de River Plate e Inter – o Alianza Lima ficaria como zebra – um pesado grupo da morte na competição. Pois a campanha são-paulina parou ainda no primeiro mata-mata diante de um organizado Talleres.

Após vencer por 2 a 0 em Córdoba no jogo de ida, o Talleres controlou o São Paulo na noite dessa quarta-feira no Morumbi e garantiu a classificação para a próxima fase da competição continental.

A organização mostrada dentro de campo pela equipe do técnico Juan Pablo Vojvoda é uma sequência do bom trabalho na atual administração do clube, que em meia década saiu da terceira divisão argentina para eliminar um clube tricampeão do mundo e da Libertadores.

Em 2015, o Talleres estava no Torneo Federal A, que equivale a terceira divisão da Argentina. A equipe foi campeã do torneio e subiu para a B Nacional, onde conseguiu o acesso retornando ao convívio com os grandes em 2017. Na temporada passada, o time de Córdoba obteve o quinto lugar na Superliga Argentina e a vaga para a Libertadores deste ano.

Sem peças de grande nome – o maior é Guiñazu, já com seus 40 anos -, o time de Juan Pablo Vojvoda se destaca pela força coletiva, a boa estrutura defensiva em especial. A equipe raramente se expõe em sua última linha e tem na organização a base para o seu jogo.

Vojvoda varia a defesa com linhas de três e quatro homens. O lateral esquerdo Enzo Arias muitas vezes atua como um terceiro zagueiro com ofensivo ala direito Leonardo Godoy ganhando liberdade.

Aos 40 anos, Guiñazu não tem o mesmo vigor dos seus tempos de Inter e Vasco da Gama, mas segue eficiente na marcação. Ele tem como companheiro Andrés Cubas, um volante de grande intensidade. Os dois dão sustentação defensiva para um meio-campo que conta com os talentosos Pochettino e Juan Ramírez. Ramírez teve diante do São Paulo a missão de fazer a ala esquerda e fechar a linha de cinco defensores quando a equipe defendia. Mesmo assim, não perdeu a capacidade de chegar na frente, como no lance em que marcou o gol que abriu o placar contra o São Paulo em Córdoba.

No ataque foi que o Talleres fez sua principal contratação para 2019. O colombiano Dayro Moreno chegou para fazer companhia a Palacios. Moreno é jogador mais fixo e de finalização enquanto Palacios oferece velocidade e funciona como válvula de escape quando o time adota uma estratégia de contra-ataque.

Após passar pelo São Paulo, o Talleres pinta como favorito para o confronto com o chileno Palestino e, por consequência, para entrar no Grupo 1. É difícil projetar hoje onde esse Talleres pode chegar na Libertadores e se irá atrapalhar a vida de mais um gigante sul-americano – River ou Inter -, mas ter eliminado o São Paulo já foi um grande feito para a fanática torcida do clube de Córdoba se orgulhar.