Alonso tem capotagem espetacular e Sainz vence para apontar para título no Dakar
capa

Alonso tem capotagem espetacular e Sainz vence para apontar para título no Dakar

Bicampeão de Fórmula 1 superou giro duplo no deserto e completou a etapa, a dois dias do fim da competição

Por
Estadão Conteúdo

Toyota ficou bem danificado, mas Alonso levou o carro para a bandeirada

publicidade

Em dia marcado por uma capotagem dupla do espanhol Fernando Alonso, que conseguiu se manter na disputa, Carlos Sainz, seu compatriota, venceu nesta quarta-feira a décima etapa do Rally Dakar, realizada entre Haradh e Shubaytah. Com isso, o bicampeão do Dakar ficou muito próximo do tri entre os carros, a dois estágios do fim da disputa na Arábia Saudita.

A etapa teve o seu trecho cronometrado reduzido para 345 quilômetros, em virtude de fortes rajadas de vento e de acidentes com danos materiais que pressionaram as equipes de socorro. Sainz, ao lado do navegador espanhol Lucas Cruz, ganhou a disputa com o tempo de 2h03min43s. Além disso, os seus principais concorrentes ao título tiveram um dia ruim. O Top 3 entre os carros no dia foi completado pelo polonês Jakub Przygonski, a 3min05s, e pelo sul-africano Giniel de Villiers, a 4min26s.

Alonso, por sua vez, ficou praticamente sem chances do sonhado top ten na estreia. Ele sofreu o seu acidente no início da etapa e rolou duas vezes numa duna desértica.Apesar de avarias no carro, como dois pneus furados e o para-brisa quebrado, seguiu na disputa. Mas perdeu bastante tempo, fechando a etapa na 55ª colocação, com desvantagem de 1h17min33s para Sainz. Com isso, caiu para o 14º lugar na classificação geral, mas ainda com chances de ser o melhor novato da edição.

O catariano Nasser Al-Attiyah foi apenas o 17º colocado do dia, a 17min46s de Sainz, ficando a 18min10s do líder, na segunda posição. Já o francês Stéphane Peterhansel foi o décimo, com uma desvantagem de 11min48s. E agora ficou a 18min26s de Sainz na classificação geral, em terceiro lugar, mas com chances de fazer uma dobradinha dos buggies Red Bull.

Entre as motos, o espanhol Joan Barreda foi o vencedor do dia, com um tempo de 2h11min42s, 1min07 à frente do norte-americano Ricky Brabec. E o argentino Kevin Benavides, com desvantagem de 2min31s, foi o terceiro colocado. Líder da classificação geral, Brabec ampliou a sua vantagem para 25min44s em relação ao chileno Pablo Quintanilla, que foi o sétimo colocado do dia. O sonhado título da Honda fica cada vez mais próximo, após 18 anos de supremacia KTM. Barreda é o terceiro após a disputa de dez etapas, a 27min09s do norte-americano.

O brasileiro Antonio Lincoln Berroca foi o 48º colocado da décima etapa, a 51min30s de Barreda. Com isso, está no 71º lugar entre as motos, com uma desvantagem de 17h16min09s para Brabec.

Na disputa dos caminhões, o russo Anton Shibalov venceu a etapa com o tempo de 2h12min12s. Na segunda posição, diminuiu para 36min08s a sua desvantagem para o líder da classificação geral, o compatriota Andrey Karginov.

Nos UTVs, o norte-americano Mitchell Guthrie, com o norueguês Ola Floene como seu navegador, ganhou a etapa em 2h23min47s. Os brasileiros Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin ficaram em sexto lugar, a 6min08s dos vencedores. Estão na nona posição na classificação geral, a 4h23min01s do norte-americano Casey Currie.
O Dakar prossegue nesta quinta-feira com a realização da penúltima etapa, entre Shubaytah e Haradh, com 379km de especial.