Hamilton vence com brilho e polêmica o GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1

Hamilton vence com brilho e polêmica o GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1

Inglês se tocou com Verstappen que levou a pior e abandonou a prova em Silverstone

Bernardo Bercht

Britânico passou a duas voltas do fim para dar o troco na Red Bull

publicidade

Lewis Hamilton conquistou sua vitória mais polêmica e talvez a mais importante neste domingo em Silverstone. Após um toque com Verstappen na briga engalfinhada da primeira volta, se recuperou de uma punição de 10 segundos para vencer o GP da Grã-Bretanha. Charles Leclerc foi brilhante para ser segundo com a Ferrari, e até sentir gostinho do alto do pódio. O terceiro foi um discreto Valtteri Bottas.

O duelo Verstappen x Hamilton explodiu em estilo cinematográfico numa primeira volta cheia de drama e polêmica. A Mercedes arrancou melhor e o britânico tentou colocar por fora. O holandês usou a parte de fora da pista para se manter a frente e Hamilton atacou mais duas vezes, numa batalha histórica.

Aí veio a antiga reta e um momento que lembrou os duelos mais acirrados de Prost e Senna. Hamilton se lançou por dentro na curva de alta, Verstappen tinha meio carro à frente e ninguém aliviou. Um leve toque da Mercedes na roda traseira lançou a Red Bull numa forte colisão contra o muro.

Felizmente, o holandês ficou tonto, mas sem maiores repercussões. A Mercedes seguiu na pista, em segundo lugar, atrás de Charles Leclerc com a Ferrari. A grande dúvida agora seria a possível punição para Hamilton. Com a relargada veio o anúncio, 10 segundos de penalidade.

Na arrancada, Leclerc foi perfeito para manter a ponta, enquanto Norris deu o bote em cima de Bottas. Alonso conseguiu passar Vettel e Ricciardo, mas eventualmente tomou o troco da McLaren. Vettel também tentou, Alonso deu o troco por fora e a Aston Martin rodou na saída de curva. Carlos Sainz aproveitou tudo isso para escalar até o sexto posto.

Na briga do miolo, Sérgio Perez passou bastante gente de pneus duros, mas desistiu de seguir longe e parou para médios. Voltou numa briga engalfinhada com Kimi Raikkonen, que defendeu muito bem por cinco curvas, até ser superado por um carro bem melhor que sua Alfa Romeo.

Lá na frente, um pouco mais de drama. Leclerc avisou no rádio que seu motor estava cortando. Hamilton encostou na Ferrari, mas o monegasco conseguiu reprogramar a eletrônica e recuperou a vantagem. A performance do ídolo tifosi era sensacional a essa altura.

Vieram as paradas dos ponteiros e Leclerc voltou na ponta com alguma folga para Bottas. Hamilton retornou em quarto, mas logo superou Norris para perseguir o pódio. Mais atrás, a Alpine errou o pit de Alonso, que chegou a ser superado por Lance Stroll. Mas mesmo com pneus frios, o espanhol foi para cima com a asa móvel e retomou o sétimo lugar. Atrás da dupla, Perez vinha embutido para tentar recuperar o prejuízo, agora já nos pontos. Com Pierre Gasly combonhando essa turma, no décimo posto.

Ainda com chances de perseguir Leclerc, a Mercedes mandou a ordem na volta 42 e Bottas cedeu o segundo lugar para Hamilton. O britânico tirava mais de meio segundo por volta para o monegasco. E chegou! A três voltas do fim, acionou a asa e preparou uma manobra simbólica. Na Copse, mesmo lugar do toque com Max, e onde Christian Horner reclamou que ninguém passa, ele colocou por dentro da Ferrari e foi embora. Leclerc ainda perdeu a traseira e foi na área de escape, mas se segurou no segundo posto.

Sir Lewis seguiu firme para a bandeirada, reduzindo para 8 pontos a liderança de Verstappen no campeonato. Leclerc e Bottas vieram em seguida, com o sempre consistente Norris em quarto. Daniel Ricciardo segurou Carlos Sainz a maior parte da corrida para ser quinto. O sétimo foi o batalhador Alonso, adiante de Lance Stroll e da outra Alpine de Esteban Ocon. Yuki Tsunoda aproveitou o arranca toco de Sérgio Perez com Kimi Raikkonen para levar o pontinho final para a AlphaTauri.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895