capa

Indianápolis reverencia Lauda: "Um homem leal e maravilhoso", afirma Andretti

Veteranos e nova geração lembraram do tricampeão de Fórmula 1

Por
Bernardo Bercht, direto de Indianápolis

Niki foi um dos grandes rivais de Mario na conquista do título de 1978

publicidade

Niki Lauda nunca cogitou abertamente disputar as 500 Milhas de Indianápolis, mas o tricampeão de Fórmula 1 foi lembrado no mítico oval, após o anúncio de sua morte, nessa segunda-feira. Outra lenda, Mario Andretti, fez o relato mais emocionado: "Meu coração está pesado, sofrendo pela perda de um colega e amigo", comentou o campeão de 1978 da F1.

Naquela temporada, um dos rivais de Mario, na Lotus preta, foi exatamente Lauda, campeão do ano anterior com a Ferrari e recém contratado pela Brabham. O austríaco ganhou duas, fez vários pódios, mas Andretti venceu cinco e confirmou o caneco contra um dos melhores de todos os tempos.

Sobre as disputas na F1, Andretti foi só elogios: "Era um homem realmente leal, um cara maravilhoso", destacou.

O francês Simon Pagenaud, pole-position da Indy 500 deste ano, ficou impactado com a notícia e comentou que Lauda sempre foi seu inspirador. "O mais puro exemplo de que trabalho duro dá resultados", citou. "Ele dizia que tinha uma grande bunda, que sentia tudo que acontecia com o carro. Meu herói era o Senna, mas às vezes penso que me inspiro mais em Lauda", comentou.

As novas gerações da Indycar também mostraram reverência ao campeão. Matheus Leist foi um dos primeiros a publicar uma foto em homenagem ao austríaco, Pato O'Ward foi sucinto: "Descanse em paz, lenda. Você teve um impacto enorme na comunidade do automobilismo".