Pirelli cede à pressão e vai mudar pneus da Fórmula 1 a partir do Canadá
capa

Pirelli cede à pressão e vai mudar pneus da Fórmula 1 a partir do Canadá

Por

publicidade



Apesar da resposta forte à Red Bull sobre seu compostos, a Pirelli cedeu à pressão e anunciou alterações nos pneus a partir do GP do Canadá, sétima etapa do Mundial de Fórmula 1. A ideia é retomar a construção estrutural dos compostos de 2012 com a borracha mais aderente usada em 2013. A principal preocupação da fábrica italiana foi com as delaminações de pneus ocorridas na Espanha, causadas sujeira na pista. A gota d"água para forçar as mudanças, contudo, foi Bernie Ecclestone que teme perder o apoio da Red Bull às corridas e iniciou campanha de bastidores em nome da "boa convivência"

O segredo da borracha atual é a administração do aquecimento uniforme dos pneus. Ferrari, Lotus e Force India, por exemplo, projetaram toda a sua configuração aerodinâmica para manter os pneus num segmento de temperatura que evita o desgaste extremo de algum dos lados do pneu. Carros que se apoiam muito em eficiência aerodinâmica, como Red Bull e Mercedes, acabam superaquecendo algumas áreas dos Pirelli e o pneu degrada muito mais rapidamente, daí as reclamações. O fato, contudo, é que as outras equipes fizeram um trabalho melhor, sabendo o que viria por parte do fornecedor de pneus.

Como havia previsto o chefão esportivo da Pirelli, Paul Hembery, a mudança no pneu a partir da sétima etapa vai beneficiar a Red Bull, reduzindo a necessidade de equilíbrio término nos pneus. No ano passado, a fabricante usava uma cinta de kévlar para manter a estrutura dos Pirelli rígida, evitando deformações laterais a não ser em momentos extremos. Para 2013, foi escolhida uma cinta de aço, que permite mais flexibilidade e, em teoria, utilização de compostos mais macios e aderentes sem comprometer o desgaste.

A questão, aí, é que as equipes optaram por seguir com o que já entendiam nos carros e ignoraram a característica base do pneu, gerando o degaste exagerado. A tendência, então, é que a vida de Fernando Alonso e Kimi Raikkonen seja bastante dificultada na tentativa de impedir um quarto título de Sebastian Vettel, como já avisou a Pirelli. Como não é raro na cínica Fórmula 1, quem fez o melhor trabalho com o regulamento, será castigado por isso, em nome do status quo.