Verstappen passa Leclerc em ataque total e vence GP de Miami

Verstappen passa Leclerc em ataque total e vence GP de Miami

Pódio teve duas Ferrari frustradas, com a Red Bull levando a melhor na corrida de rua

Bernardo Bercht

Holandês ensaia recuperação no campeonato

publicidade

Max Verstappen manteve a pressão e venceu o duelo com Charles Leclerc para vencer o GP de Miami, neste domingo. A Red Bull teve mais desempenho com pneus médios e o holandês aproveitou para atacar antes dos pit-stops e passar o rival, reduzindo a diferença no mundial. Carlos Sainz passou a corrida segurando os ataques de Sérgio Perez e completou o pódio, com duas Ferrari, mas os tifosi frustrados.

Na largada, a turma do lado do líder levou vantagem na arrancada e Verstappen aproveitou para dar o bote sobre Sainz. A melhor primeira volta foi de Fernando Alonso, que arrancou bem e costurou com a Alpine para aparecer em sétimo, à frente de Hamilton.

O piloto da Mercedes, contudo, logo foi para cima e superou o rival espanhol e o francês Pierre Gasly. A partir daí, era a Alpine pressionando a AlphaTauri e, lá na frente, Verstappen atacando Leclerc. Na turma do fundão, as Aston Martin recuperavam o prejuízo ao largarem dos boxes por uma irregularidade na gasolina.

A Ferrari conseguiu se manter à frente da Red Bull por três voltas após a investida começar. Mas aí, Leclerc deu uma bobeada no último setor, Max abriu asa móvel e passou na primeira curva para disparar.

A essas alturas todo mundo já tinha decidido fazer pit-stop único, mas alguns iam segurar o pneu duro bem longe, outros iam apostar um pouco mais nos médios. As duas Haas e Fernando Alonso abriram os trabalho, com a Alpine fazendo um pit-stop bem ruim e tirando a chance do espanhol passar Gasly no undercut.

Isso também fez Alonso segurar um trem com as duas Aston Martin e as duas Haas, além de Lando Norris. Essa turminha tinha toda a cara de aprontar um safety car, mas até o terço final da corrida seguraram a onda.

A Ferrari tentou o undercut quando trocou para pneus duros, mas Leclerc voltou ainda mais longe de Verstappen. Perez seguia na carga para cima de Sainz, enquanto Hamilton pouco a pouco tirava a desvantagem para Bottas em sua ótima prova com a Alfa Romeo. Lá na frente, Russel segurava os pneus velhos no aguardo do safety car que parecia nunca vir.

Até que veio, numa cadeia de eventos. Alonso partiu para cima de Gasly, tocou de leve no francês, que mais à frente errou a freada. Ao voltar para a pista, Norris tentou passar e acabou tocando sua McLaren na AlphaTauri, perdeu a roda e beijou o muro, espalhando pedaços pela pista.

Russel e Ocon foram os grande beneficiários. Um fazia recuperação para chegar em décimo, o outro dificilmente faria pontos após andar o dia todo no fundo do pelotão. Mas agora, estavam no top ten, com pneus novos. Perez também tentou o pulo do gato ao trocar para pneus médios e se manter em quarto.

Veio a relargada e as duas  Mercedes partiram para cima de Bottas. O finlandês escorregou e deixou as Flechas de Prata passarem. Por tudo que tinha feito na corrida, podia ter vindo a ordem de manter posições e garantir quinto e sexto, mas a Mercedes deixou os dois brigarem. Russell foi por fora, usou área externa da pista e passou de forma irregular.

Mais adiante, o jovem britânico até devolveu a posição, mas imediatamente antes de uma zona de DRS. Acionou a asa móvel e passou facilmente de novo Hamilton, que reclamou bastante de ter sido prejudicado pela estratégia no safety car.

Na luta da ponta, Leclerc até brigou, entrou na zona de asa móvel e mostrou o bico, mas não conseguiu uma posição de ataque. Perez fez uma freada kamikaze para cima de Sainz, passou reto e levou o xis para não mais voltar a brigar pelo pódio.

Lá atrás, Sebastian Vettel fez uma ultrapassagem dupla linda, em cima de Ocon (mesmo com pneus novos e macios) e Mick Schumacher. Só que na curva seguinte, o alemão da Haas deu no meio da Aston Martin e esculhambou um resultado que seria excelente para o tetracampeão. Ocon, que não tinha passado ninguém o dia inteiro, agradeceu e foi embora com o nono lugar grátis.

Na bandeirada, Red Bull, Ferrari, Ferrari e Red Bull. Depois veio o sortudo e com menos amigos na Mercedes Russell. O sexto foi Hamilton, com Bottas em sétimo. Ocon ainda foi promovido a oitavo, já que Alonso, muito superior toda a corrida levou 5s de punição pela briga com Gasly e acabou em nono. Alex Albon levou de novo um heróico pontinho com a Williams. Depois da prova, a direção aplicou mais uma punição a Alonso, que caiu para 11º. Albon terminou em nono, com Lance Stroll levando o último ponto em décimo.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895