Focada em tecnologia, huddle room substitui antiga sala de reunião
capa

Focada em tecnologia, huddle room substitui antiga sala de reunião

Ambientes menores, voltados para videoconferência e colaboração, ganham espaço nas corporações

Por
Correio do Povo

publicidade

Salas de reunião enormes, com capacidade para muitos assentos. Este cenário, tão comum no imaginário das empresas nas últimas décadas, vem sendo, rapidamente, transformado pela necessidade da força de trabalho - cada vez mais globalizada e em movimento – e, principalmente, pela tecnologia. Hoje, negócios são fechados e decisões são tomadas em salas menores – as huddle rooms – inspiradas na ideia de “team work” e projetadas para priorizar soluções de videoconferência e colaboração.

De acordo com o Wall Street Journal, atualmente, 73% das reuniões envolvem apenas de duas a quatro pessoas. Até 2022, segundo um estudo de mercado realizado pela Frost & Sullivan, quase 70% de todas as salas convencionais serão substituídas pelo novo formato, que prioriza a praticidade, privacidade, o clima intimista e, principalmente, a eficiência e a participação remota.

“É importante ter um ambiente que adote a informalidade e que aproveite, ao mesmo tempo, as ferramentas que facilitam a colaboração e aumentam a produtividade. Em vez de um espaço formal de discussões, hoje as salas de reuniões são pontos de encontro para alinhamentos frequentes que, em certos casos, não necessitam ser  previamente agendados”, explica Carlos de Souza, Country Manager da Jabra no Brasil, multinacional dinamarquesa líder mundial em soluções de audio e som.

Outro argumento a favor deste conceito são os altos valores imobiliários, que forçam as companhias a buscarem o melhor aproveitamento dos ambientes corporativos e  a diminuirem os locais ociosos. Plantas open space ou coworkings, por exemplo, também têm optado por salas de reunião menores, pois proporcionam maior privacidade aos usuários quando o assunto em pauta demanda.

Com o advento deste novo conceito de salas de reunião, surge também a necessidade de aparatos tecnológicos específicos, dispositivos audiovisuais que permitam que a comunicação por vídeo seja nítida, sem falhas ou interrupções, interativa e integrativa, rápida e inteligente.

PanaCast

O uso de tecnologia de ponta e a otimização de espaços mais compactos são os principais diferenciais das huddle rooms – segundo pesquisas de mercado, são essas características que tornam o espaço mais utilizado pelos funcionários quando comparados às salas de reunião convencionais, ambientes normalmente defasados e que costumam dispor apenas de televisão, conexão wi-fi e monitor.

Salas mais bem equipadas refletem no aumento da concentração e também da produtividade dos colaboradores envolvidos. Por isso, o projeto de uma huddle room deve considerar, além de mesa e cadeiras para até cinco pessoas e televisão, gadgets de vídeo de alta qualidade, que proporcionem aos participantes remotos a sensação de estarem dentro da sala.

Desenvolvida para atender esta demanda crescente de mercado, a Jabra Panacast,  dispositivo plug-and-play já disponível no Brasil, realiza a captação de imagens panorâmicas e em qualidade 4k. É dotada de três câmeras de 13 megapixels cada, que trabalham de maneira integrada e possui dois microfones embutidos,  além de promover a captura de imagens em até 180°, sem pontos cegos. Ou seja, com a Panacast todos os participantes – remotos ou não – conseguem ouvir, falar e serem vistos – um ganho enorme quando se trata de interação, visto que até então a angulação máxima de gadgets semelhantes era de 120°.

“Esse é um produto com tecnologia inovadora, que vem para melhorar a qualidade das reuniões. Se pensarmos no cenário corporativo atual, onde os escritórios estão cada vez menores e as salas de reunião cada vez mais disputadas, é imprescindível que elas estejam bem equipadas”, afirma Souza.

O dispositivo conta ainda com outros benefícios, como o zoom inteligente - um detector de presença, que pode abrir ou fechar, automaticamente, o seu ângulo de gravação, de acordo com a quantidade de pessoas presentes na sala; o Vivid HDR, solução que realiza a compensação da luz ambiente de acordo com a iluminação da sala,  e é também certificado para o uso nas principais plataformas de UC, como a Microsoft Teams e o  Zoom.

O produto fornece também informações por meio de sua API (“Application Programming Interface” ou “Interface de Programação de Aplicativos”, em tradução livre), promovendo maior automação do fluxo de trabalho da empresa e permitindo uma gestão fácil dos seus recursos, tudo por meio da análise de dados feita pela ferramenta.

Jabra no Brasil e SigmaOne – Parte do GN Group, a Jabra é referência na criação de soluções de áudio e video no mundo. Há oito anos no Brasil, a marca se destaca pela inovação, qualidade e uma linha completa de produtos direcionados ao mundo corporativo. Com aproximadamente 2,3 mil clientes apenas no Brasil, a Jabra contabiliza o índice de taxa de conversão em venda de 80% quando os clientes vivenciam os produtos e conta com uma equipe de 180 engenheiros que trabalham continuamente para o desenvolvimento de seus produtos. Esse é o mundo Jabra, distribuído pela SigmaOne por meio de sua sede em Curitiba, unidade de negócio em São Paulo e revendedores em todo o Brasil.