O Campo não Sonha, Floresce

O Campo não Sonha, Floresce

Poema de Luiz Coronel

Luiz Coronel

publicidade

O campo não sonha,
floresce,
mas quando o campo
decide, acontece!

Vem o sol 
é uma oração.
Vem a chuva,
é uma prece.

A quem traz sementes
nas mãos
até o vento obedece.

Quem viaja 
em noite escura
sabe que lua aparece.

Quem remenda 
a solidão, sabe
o tecido que tece.
Quem apascenta 
os rebanhos, enquanto
a chaleira aquece,
revolve o chão da lavoura
e a plantação logo cresce.
Cai o suor 
por nosso rosto,
pequeno rio
que nos desce.
No ventre das estações
os frutos amadurecem.
A quem traz sementes
nas mãos
até o vento obedece.

O campo não sonha,
floresce.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895