Após restrições, Leite sofre ataques nas redes sociais

Após restrições, Leite sofre ataques nas redes sociais

Publicações, que envolvem até a deputada Bia Kicis (PSL), questionam medidas no governo no enfrentamento à pandemia

Mauren Xavier (interina)

Governador tem recebido críticas nas redes sociais após anúncio de restrições

publicidade

Após manter a bandeira preta até pelo menos o dia 21 de março e ampliar restrições ao comércio, o governador Eduardo Leite tornou-se alvo principal de ofensivas nas redes sociais, ainda que as medidas visem reduzir o ritmo de hospitalizações, em um quadro de esgotamento do sistema de saúde do Estado.

As atenções ao governador tucano aumentaram no último mês, como esperado, com o lançamento da sua pré-candidatura à presidência da República. Tanto que das mensagens publicadas nas redes sociais, muitas tratam do encontro, que ocorreu no Palácio Piratini e o chamam de “aglomeração”.

Parte das mensagens recai ainda em relação a mais recente decisão do Executivo de limitar a venda nos supermercados apenas de produtos essenciais. A argumentação dos contrários à proposta é de que se trata de um ataque à liberdade.

Diante às críticas, Leite chegou a rebater algumas manifestações, como no caso da deputada bolsonarista Bia Kicis, a que poderá assumir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Câmara de Deputados. No Twitter, ela publicou que o “Estado decide o que sua família pode ou não consumir”. Em resposta, Leite disse que o “melhor que o Estado faça escolhas agora do que médicos tenham que fazer escolhas sobre quem vive e quem morre, deputada”.

Com a ofensiva, outros integrantes também manifestaram posição de apoio, como o chefe da Casa Civil, Artur Lemos.

Sobraram críticas também ao vice, Ranolfo Vieira Júnior (PTB). Detalhe que, neste caso, o comentário de desprestigio veio do presidente nacional da própria sigla do vice, Roberto Jefferson, que ao ser questionado nas redes sociais sobre a atuação de Ranolfo, respondeu: “Irmão, vice e m. é a mesma coisa em todo lugar, não fede, nem cheira”. 

Enquanto isso, na linha de frente, profissionais da saúde seguem fazendo apelos à sociedade. 

 

Em tempo, no meio dos ataques, Eduardo Leite publicou no sábado, na sua conta no Instagram um agradecimento ao recebimento de um presente. "Em tempos de decisões amargas e ataques azedos de ódio, obrigado pelo carinho", escreveu o governador, com uma foto de um entrega da loja de chocolates Charlei Brownie. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895