Venda da Carris pode ser votada na quarta-feira

Venda da Carris pode ser votada na quarta-feira

Com 21 votos favoráveis para aprovação, líder do governo está otimista. "Estamos seguros", disse

Taline Oppitz

Cecchim garantiu: desestatização da companhia não passa de setembro

publicidade

O fim de semana será marcado por uma série de contatos e articulações sobre o projeto de privatização da Carris. O líder do governo na Câmara, vereador Idenir Cecchim (MDB), afirmou que o texto não será colocado em votação na segunda-feira, véspera do feriado da Independência. “Garanto que não haverá surpresas para segunda-feira. A partir da próxima quarta, o texto pode ser analisado. O que ocorreu nesta semana, com a votação do projeto dos cobradores, não estava previsto. Mas os sindicatos forçaram a barra, a entrada na Casa, e a partir daí, parte da base pediu para colocarmos a proposta em votação. Foi um tiro no pé”, disse Cecchim à coluna.

Segundo o vereador, o placar de 21 votos favoráveis à matéria de extinção da função de cobrador serve de termômetro para os demais cargos, e, inclusive, pode ser ampliado. “Estamos seguros. A Carris será desestatizada. O projeto de governo já está discutido. A população não pode arcar com uma empresa que dá prejuízos”, afirmou Cecchim.

Sobre o destino da companhia, já que devido à crise no setor de transportes, há a possibilidade de não aparecerem interessados na compra, Cecchim é otimista. Segundo ele, já estão ocorrendo movimentos de interessados, “com bala na agulha”, entre eles, um grupo chileno. “Não há necessidade de venda fechada, de toda a companhia a um único comprador, pode ocorrer a aquisição por linhas, por exemplo”, destacou o vereador. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895