Banrisul anuncia dois editais de compra de energia renovável que atendam 100% de sua estrutura
CONTEÚDO PATROCINADO
Correio + Conteúdo

Banrisul anuncia dois editais de compra de energia renovável que atendam 100% de sua estrutura

Projetos contemplam cerca de 500 agências localizadas em todo o território do Rio Grande do Sul

Correio Mais Conteúdo

publicidade

Conectado às melhores práticas do mercado no que se refere à sustentabilidade, o Banrisul lança neste segundo semestre um edital para compra de energia de fonte renovável no Ambiente de Contratação Livre (ACL). Ao lado do reflexo ambiental positivo, a iniciativa vai proporcionar uma economia aproximada de R$ 50 milhões, em energia, até 2031.

A proposta prevista será de aproximadamente 15.000 MWh/ano para consumo em unidades de média tensão. De acordo com o edital a ser publicado, a energia contratada deverá ser do tipo incentivada 50%. “Isso significa que vamos converter o consumo em 100 agências, localizadas no Rio Grande do Sul, para energia de fonte 100% renovável. Não basta apoiar iniciativas sustentáveis, temos de dar o exemplo”, defende o presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho.

Para chegar a 100% do consumo de energia elétrica renovável, o Banrisul deve lançar, ainda neste ano, um segundo edital, para locação de Sistema de Geração Distribuída (SGD). Esse formato atenderia a demanda de 45% das unidades, que funcionam em baixa tensão, e atendem 400 agências. “Esse é um dos importantes passos de um movimento, na caminhada de tornar o Banrisul um dos bancos mais sustentáveis do Brasil”, destaca Coutinho.

Requisitos técnicos

Para compensação de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), gerados pelo consumo de energia elétrica — e para que se tenha rastreabilidade da fonte — será exigido da empresa contratada via edital o fornecimento de “Certificados de Energia Renovável” no padrão I-REC.

De acordo com a diretora Administrativa do Banrisul, Marivania Fontana, ambos os editais estão alinhados à estratégia de sustentabilidade do Banrisul, que inclui outras frentes. “Estamos atentos à mitigação dos Gases de Efeito Estufa, com projetos internos de ecoeficiência. Também reforçamos a inclusão de critérios de sustentabilidade em processos de contratações e na oferta de produtos e serviços, que contribuam positivamente nesta temática, fomentando assim a transição para uma economia de baixo carbono”, detalha.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895