Árbitro interrompe partida por cantos homofóbicos
capa

Árbitro interrompe partida por cantos homofóbicos

Anderson Daronco pediu auxílio de Vanderlei Luxemburgo para interromper atos de preconceito

Por
Estadão Conteúdo

Luxemburgo pediu "calma" à torcida para não prejudicar clube

publicidade

O árbitro Anderson Daronco interrompeu o confronto entre Vasco e São Paulo, neste domingo, em São Januário, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ele teve que advertir a torcida vascaína sobre gritos homofóbicos contra o clube paulista.

Aos 19 minutos do segundo tempo, quando o Vasco vencia por 1 a 0, a torcida local cantava "time de v....." contra o rival. Daronco, então, foi até o banco de reservas e pediu ao técnico Vanderlei Luxemburgo para que orientasse a torcida da equipe carioca a parar com as ofensas.

Imediatamente, Luxemburgo se virou em direção à torcida e, com gestos, pediu que os cantos homofóbicos parassem. O treinador, ajudado pelo lateral-direito Yago Pikachu, foi atendido. "Falei para a torcida ter um pouquinho de calma, porque pode prejudicar o Vasco. Mas como eu ia falar para todo mundo parar? Eu só pedi calma", disse o treinador.

Na última segunda-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) enviou um ofício aos árbitros e clubes, informando que manifestações homofóbicas nos estádios podem render punições aos clubes, sugerindo que os mesmos façam campanhas educativas junto aos torcedores e atletas.