Athletico-PR bate reservas do Santos e engata terceira vitória seguida no Brasileirão

Athletico-PR bate reservas do Santos e engata terceira vitória seguida no Brasileirão

Resultado afasta de vez a equipe da briga contra o rebaixamento

AE

Athletico-PR venceu o Santos por 1 a 0 neste sábado

publicidade

O Athletico-PR aproveitou a fragilidade de um Santos com 10 jogadores reservas e chegou à terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro ao vencer o duelo por 1 a 0, neste sábado, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela 22.ª rodada. O cabeceio potente e certeiro do zagueiro e capitão Thiago Heleno no segundo tempo assegurou o triunfo do time paranaense em casa.

Com a sequência positiva, o Athletico-PR pegou o elevador, subiu para a nona colocação, com 28 pontos, e reforçou que pode brigar por uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Com apenas Jobson entre os titulares desde o início, o Santos perdeu a chance de entrar no G4, mas se manteve entre os seis primeiros. No entanto, pode sair do grupo se Grêmio ou Fluminense vencerem seus jogos neste domingo.

Athletico-PR e Santos têm compromissos pela Libertadores nesta terça-feira, ambos às 19h15 (de Brasília). O time paranaense recebe o atual vice-campeão River Plate, na Arena da Baixada, enquanto que a equipe paulista visita a LDU, em Quito, no Equador. No Brasileirão, o clube do Paraná encara Palmeiras, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, no próximo sábado. No mesmo dia, o time alvinegro pega o Sport no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Com muitas baixas e preservações em razão da importância do duelo na altitude do Equador, o Santos não ofereceu qualquer resistência ao Athletico-PR e adotou uma postura cautelosa. Diante das circunstâncias, o empate seria bom em Curitiba. No entanto, com muitos buracos na defesa e pouco inspirado, a equipe alvinegra não conseguir levar sequer um ponto para casa.

Mesmo com a fragilidade do rival, os anfitriões demoraram para encaixar o seu jogo. Na primeira etapa, o time do técnico Paulo Autuori controlou a partida, foi superior tática e tecnicamente e teve mais a bola, mas enfrentou problemas na criação das jogadas.

Foi a equipe reserva dos visitantes, aliás, que teve a melhor chance nos primeiros 45 minutos. No lance, Lucas Braga, um dos poucos que se salvou na etapa inicial de baixo nível técnico, encontrou Arthur Gomes na área. O atacante finalizou na cabeça do goleiro Santos e a bola saiu para escanteio.

Sem Christian, que teve de sair lesionado, Autuori apostou no veloz Fabinho na frente. Foi ele que começou o lance de maior perigo dos donos da casa na primeira parte. O atacante cruzou na área para Renato Kayzer, que, porém, não conseguiu completar para o gol.

Na volta do intervalo, o cenário mudou a favor da equipe paranaense, que imprimiu velocidade e passou a pressionar pelos lados do campo. Aos sete minutos, após cobrança da falta na barreira, a bola sobrou no meio da área para Erick. Livre na área, ele chutou na saída de John e mandou por cima do gol. Aos 21, Fabinho tramou com Abner e soltou a bomba de dentro da área. O goleiro santista defendeu com o peito.

O Athletico-PR continuou em cima até encontrar seu gol pelo alto, com Thiago Heleno. Ravanelli, que entrara no lugar de Reinaldo, cobrou escanteio da direita, o defensor subiu mais alto que a zaga santista e abriu o placar com um cabeceio potente aos 29 minutos. Foi seu primeiro gol em 2020 - não balançava as redes desde outubro de 2018. Os paranaenses não criavam tantas oportunidades, mas foram premiados pela insistência no ataque.

Em desvantagem, o técnico interino Marcelo Fernandes, que substitui Cuca, ainda em recuperação da covid-19, lançou Madson, Jean Mota e Marinho. A entrada do lateral-direito, principalmente, melhorou a produção ofensiva do time da Vila Belmiro. Ele quase marcou em cabeceio fraco que Santos por pouco não deixou entrar e depois cobrou falta na área com perigo.

Grande referência do time, e um dos melhores jogadores do futebol brasileiro, Marinho pouco fez em seus parcos minutos em campo. Nervoso e insatisfeito com a atuação da equipe, o atacante levou cartão amarelo por reclamação nos acréscimos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895