Brasil de Pelotas perde para o Náutico e volta a se preocupar com o Z4
patrocinado por

Brasil de Pelotas perde para o Náutico e volta a se preocupar com o Z4

Clube pernambucano da zona do rebaixamento descontou para seis pontos a diferença

AE

publicidade

Em confronto direto na briga contra o rebaixamento, o Brasil de Pelotas se complicou ao ser derrotado pelo Náutico, que começou a vislumbrar a possibilidade de escapar da queda. O tropeço foi por 1 a 0, nesta quinta-feira, no estádio dos Aflitos, no encerramento da 27ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O único gol do duelo foi marcado em uma cobrança de falta de Jean Carlos.

Com o resultado, o Náutico continua na 18ª colocação, mas, agora, com 27 pontos, diminuindo para dois a diferença em relação ao Paraná, primeiro clube fora da degola. Entre eles, está o Figueirense, com 28. O Brasil, por outro lado, ficou na 15ª posição, com 33.

O Náutico tomou a iniciativa do duelo. O time pernambucano sofreu com as limitações técnicas, mas tinha a posse de bola e chegou a abrir o marcador aos 20 minutos, através das jogadas de bola parada. Jean Carlos cobrou falta venenosa e contou com a ajuda de Rafael Martins para fazer 1 a 0.

O Xavante teve de sair para o jogo, chegou a equilibrar as ações e assustou. Em um dos poucos lances de perigo, Jarro ganhou da marcação e rolou para Bruno José, que parou na defesa de Anderson. Apesar de ter ido para a bola de um jeito meio atrapalhado, o goleiro conseguiu mandar para escanteio.

A partir daí, o Brasil cresceu e chegou a pressionar o Náutico. Rodrigo Ferreira soltou a bomba, em cobrança de falta, mas viu Anderson defender. Antes do apito final, deu tempo de Bruno José desperdiçar mais uma oportunidade. Desta vez, mandou por cima do gol.

No segundo tempo, mesmo em vantagem, o Náutico voltou melhor e continuou ameaçando nas jogadas de bola parada de Jean Carlos. O meia tentou através de falta, escanteio e colocou uma bola na cabeça de Paiva. O atacante, que entrou no lugar do lesionado Kieza, jogou para fora.

Com o duelo se aproximando do fim, o Brasil deu espaços para o Náutico, uma vez que precisava correr atrás do placar. Com isso, Jean Carlos aproveitou o rebote para jogar na trave. Paiva, por sua vez, só não marcou, pois Rafael Martins defendeu. Thalles também desperdiçou grande chance, após passe de Dellatorre, pelo lado do Xavante. Nos minutos finais, o Náutico se fechou, chamou o Brasil para o seu campo de defesa, mas se segurou para confirmar os três pontos.

Na próxima rodada, o Náutico visita o Botafogo-SP no domingo, às 18h15, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. No mesmo dia, às 20h30, o Brasil recebe o Guarani no Bento Freitas.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895